A nove meses da primeira edição, Brazilian Footwear Show já tem 85% do espaço preenchido

0

Novo Hamburgo (RS) – Quinta maior produtora de calçados do mundo, a maior fora da Ásia, com um parque fabril que reúne mais de 4 mil fábricas de todos os portes e que tem força econômica preponderante em pelo menos dez estados brasileiros. É esta a indústria que, a partir de novembro, realizará um outro marco histórico.

Isso porque, entre os dias 21 e 23 daquele mês, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), em parceria com a NürnbergMesse Brasil, realizará a edição de estreia da Brazilian Footwear Show (BFSHOW), na Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), em Porto Alegre/RS.

Conforme a Abicalçados, a nove meses de sua primeira edição, a feira calçadista já tem 85% dos espaços ocupados, com empresas de todos os portes e polos produtivos brasileiros.

A BFSHOW promete ser um marco para a indústria calçadista brasileira, que a partir de agora, a exemplo de outros países, como a Itália – que abriga a Micam Milano, referência internacional do setor e que é promovida pela associação de calçadistas italianos, a Assocalzaturifici – terá uma feira própria.

“Será um evento feito pela indústria para o varejo, abrangendo todas as demandas e anseios do mercado, que busca uma mostra com otimização de custos, transparente e focada em negócios”, destaca o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira.

Ferreira conta que a nova feira foi uma demanda dos próprios empresários, que ganhou força a partir de 2020. “Antes de lançarmos oficialmente a BFSHOW, ouvimos, além das indústrias, os lojistas brasileiros sobre a percepção das feiras físicas em um cenário pós-pandemia. Foi a partir dos resultados dessa pesquisa que colocamos em prática a feira”, recorda o dirigente.

“O setor aderiu à ideia de ter uma feira democrática, realizada e gerida pelas indústrias de calçados. Além de otimizar recursos, será um evento focado em negócios e extremamente transparente, inclusive com auditorias em relação aos números apresentados”, comenta.

O CEO da NürnbergMesse Brasil, João Paulo Picolo, projeta uma feira pujante e com efetivação de negócios. “Estamos animados .A chancela da Abicalçados, por si só, aponta para a força da feira, otimizando recursos e gerando retornos mais expressivos para os expositores. A expectativa para a primeira edição da BFSHOW é muito boa, principalmente pelo que podemos sentir nos polos calçadistas que visitamos ao longo do ano passado”, avalia.

“Mercado no comando”

Com expositores confirmados em todos os polos calçadistas brasileiros, a BFSHOW se notabiliza por unir grandes, médias e pequenas empresas, de diferentes nichos e estratégias de atuações.

A Democrata (Franca/SP) é uma das expositoras confirmadas. O diretor comercial da empresa, Marcelo Paludetto, ressalta que, após um ano bom, de crescimento de 25% e recorde histórico de vendas no mercado doméstico, a expectativa para 2023 é de manutenção dos índices, principalmente no Brasil.

“Como o nosso principal destino são os Estados Unidos, mercado em que o varejo está com altos estoques e sofre com a inflação, devemos ter uma queda nas exportações. Já no mercado doméstico a expectativa é de repetir os bons índices do ano passado”, avalia.

Para a BFSHOW, Paludetto destaca que a expectativa é bastante positiva, especialmente pela recuperação da representatividade e pujança de uma feira “do tamanho que o setor merece”. “Sabemos que a BFSHOW será uma construção, mas temos a expectativa de que se torne a principal feira nacional de calçados, para o mercado brasileiro e mundial”.

Segundo o diretor, o fato de ter à frente uma entidade representativa, como a Abicalçados, facilita na interlocução com os players do mercado, tanto expositores quanto varejistas. “O mercado deve ter o comando. Ter a Abicalçados na promoção garante uma maior flexibilidade para atender às demandas do setor”, acrescenta, ressaltando, ainda, que são diferenciais desta primeira edição, em Porto Alegre/RS, a infraestrutura e as facilidades logísticas, já que a Fiergs fica localizada muito próxima ao aeroporto da capital gaúcha.

Experiência

Há 40 anos atuando no setor calçadista, o empresário Pedro Gomes da Silva, diretor da Randall (Nova Serrana/MG) e vice-presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), está entusiasmado com a ideia de repetir uma experiência positiva em nível regional no cenário nacional.

“Desde 2007 mantemos a Fenova, uma feira de calçados das indústrias daqui de Nova Serrana e região com o objetivo de atender o mercado. A feira é realizada pelo Sindinova e tem intensa participação das empresas, que ajudam a escolher desde a data de realização até os compradores convidados”, conta Silva, ressaltando a importância de ter uma associação de classe à frente das mostras.

Segundo ele, ter a mostra ser organizada pelos próprios empresários faz com que exista um diálogo constante com os anseios do mercado, tanto de expositores quanto de lojistas. Com relação aos negócios, o empresário está otimista, diz que empresas locais já estão com pedidos até março de 2023. “O mercado ainda está nebuloso, mas pelo que temos conversado com as indústrias está comprador. Certamente, isso vai se refletir na BFSHOW, em Porto Alegre/RS, onde estaremos presentes”, conclui Silva.

Foco em negócios

Também otimista com a realização da feira calçadista está o empresário João Osterno Filho, da Di Valentini (São João Batista/SC). Segundo ele, o crescimento da empresa projetado para 2023, de 23% em produção de calçados, passa, entre outras coisas, pelo sucesso da BFSHOW.

“Estamos com grandes expectativas, pois estamos sendo ouvidos para criar as condições de uma feira, efetivamente, focada em negócios”, destaca o empresário, ressaltando que outro fator positivo foi a redução de custos para exposição.

Associada à Abicalçados desde 1999, a Klin (Birigui/SP) vê a feira como uma oportunidade de estreitar ainda mais a parceria e também de incrementar os negócios. “O ano de 2022 foi um ano de crescimento não apenas para o nosso segmento, mas para toda a cadeia. Para 2023, nossa expectativa é de um ano ainda melhor, principalmente com a expansão das nossas franquias”, projeta o diretor da empresa, Carlos Mestriner, ressaltando que a BFSHOW pode auxiliar a indústria na busca pelo crescimento.

Para o empresário, além do foco em negócios, é um atrativo a redução de custos, com otimização dos recursos, e o desenvolvimento do espírito cooperativista do setor.

Ele destaca ainda que contar com a Abicalçados na gestão da mostra, juntamente com as empresas associadas, que respondem por mais de 65% da produção nacional de calçados, traz uma “maior segurança e confiança” para a feira calçadista. “O exemplo de sucesso da Micam Milano, na Itália, corrobora a importância de se ter uma entidade de classe à frente das feiras setoriais”, pontua Mestriner.

Oportunidade

Para o diretor comercial da marca Cravo & Canela, recém adquirida pela Gonçalves Calçados (Rolante/RS), Deivis Gonçalves, a nova feira é uma importante ferramenta comercial, servindo para apresentar a marca de calçados femininos ao mercado. Segundo ele, desde suas primeiras apresentações às empresas, a BFSHOW ficou aberta a opiniões dos empresários acerca das necessidades do setor.

“Sempre acreditamos na colaboração e, principalmente, na relação ganha-ganha”, diz. Segundo o diretor, o atendimento, tanto da Abicalçados quanto da NürnbergMesse Brasil, sempre foi muito bom, justificando o propósito da mostra.

Sobre a expectativa, Gonçalves destaca ser a melhor possível, pelo fato de poder apresentar ao mercado, na BFSHOW, a nova cara da Cravo & Canela, agora com uma pegada ousada, casual e conectada à moda. “Acreditamos que são diferenciais da feira a localização, em Porto Alegre/RS, o foco em vendas e a já garantida presença de grandes marcas de calçados, pois este fato certamente irá atrair a visitação de lojistas”, avalia.

União

O diretor da Kidy (Birigui/SP), Sérgio Gracia, ressalta que a BFSHOW irá unir o setor calçadista brasileiro. “Temos ótimas expectativas para a feira. Ter a Abicalçados à frente do processo é importante, pois a entidade é sabedora das necessidades da nossa indústria, não somente das grandes empresas, mas das pequenas também”, avalia, ressaltando que feiras geridas pelas associações setoriais são uma tendência mundial na qual o setor deve estar inserido.

Segundo Gracia, são diferenciais da feira, ainda, a questão logística, por estar próxima ao aeroporto, o que favorece a visitação de compradores nacionais e estrangeiros, além da significativa redução de custos para a exposição. “É uma relação onde todos ganham. O setor calçadista fica fortalecido”, conclui.

Setor vê oportunidade de incrementar vendas

Com expectativa de crescimento de 1,6% na produção, alcançando mais de 860 milhões de pares produzidos em 2023, a indústria calçadista brasileira enxerga no evento uma oportunidade de expandir as vendas tanto no mercado doméstico quanto internacional.

“As exportações, que foram alavanca do crescimento de cerca de 3% no ano passado, devem perder espaço para o mercado interno ao longo de 2023, mas serão igualmente importantes para o resultado global, já que hoje 15% do que produzimos é enviado para o exterior”, concluiu Ferreira.

(*) Com informações da Abicalçados

Deixe uma resposta