Abracomex: o Brasil é o único país do G20 a aumentar exportações no primeiro quadrimestre

0
1026

Última atualização:

Da Redação (*)

Brasilia – Em um cenário bastante adverso, tem-se uma boa notícia no comércio exterior brasileiro. Do grupo do G20, bloco econômico composto por países ricos como a Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia, e países emergentes como a África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México e Turquia, o Brasil foi o único integrante a expandir suas exportações no primeiro quadrimestre de 2020.

A avaliação foi feita hoje (28) pela  Associação Brasileira de Consultoria e Assessoria em Comércio Exterior (Abracomex), ao analisar informe da Organização para Cooperação e  Desenvolvimento Econômico (OCDE), sobre o desempenho do comércio internacional do G20 no primeiro quadrimestre do ano.

De acordo com a Abracomex, os países asiáticos não deixaram de importar produtos brasileiros mesmo sendo afetados pelo grave quadro de saúde mundial, e este é um dos principais motivos para que o Brasil apresentasse o bom resultado.  A Ásia representa 47, 2% do total de todas as exportações brasileiras, o aumento nos quatro primeiros meses foi de 10,9% em comparação com o mesmo período de 2019.

Ao comentar esses dados, o professor Gilberto Campião da Abracomex, diz que “os bons números estão relacionados à exportação de bens primários alimentícios, onde o Brasil é o grande produtor, e este ano conseguimos lograr um aumento da nossa produção agrícola, com grande superávit e alguns produtos têm demanda garantida, como alimentos e vestuário”.

Ainda de acordo com o professor Campião, “para o futuro, as perspectivas de crescimento são ainda melhores, já que o agronegócio continua sendo o maior colaborador pelos números. A soja em grãos, suco de laranja, as carnes de boi, frango e suína, café, açúcar, milho e outros são produtos de demanda pouco elástica, ou seja, são produtos que mesmo depois da pandemia continuarão sendo muito procurados em todos os continentes. Outros setores como o minério de ferro e petróleo exportaram juntos 13,3 milhões de toneladas em maio de 2020, de acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia”.

Gilberto Campião também diz que as perspectivas pós pandemia são de que o Brasil continuará sendo um dos principais exportadores, em função da nossa riqueza mineral e extensão agrícola, associada a tecnologia de produção.

Segundo ele, “estamos entre as maiores economias do mundo e as nossas exportações ainda não refletiram essa realidade, além disso o  Brasil é um país jovem, cheio de energia e seguramente estará em breve, entre as quatro maiores economias mundiais”.

(*) Com informações da Abracomex

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta