Apex-Brasil e Abit renovam convênio para manutenção do Programa Texbrasil por mais dois anos

0
167

Última atualização:

Brasília – A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira de Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) assinam nesta quinta-feira (4), em São Paulo, o nono convênio para manutenção do Texbrasil (Programa de Exportação da Indústria da Moda Brasileira) com duração de 24 meses, entre dezembro de 2014 e novembro de 2016.

A nova etapa inclui a implementação de novas estratégias nas seguintes frentes: aproximação no relacionamento com as empresas, comunicação direcionada, intensificação dos apoios customizados e das atividades de inovação e desenvolvimento empresarial, e novas ações voltadas para consumidores finais e compradores.

O convênio prevê investimentos de R$ 45,6 milhões, combinando os aportes da Agência e a contrapartida das empresas do setor, para promover o posicionamento e a internacionalização da indústria da moda brasileira. A expectativa é que esse valor ajude o projeto a superar o bom desempenho do biênio 2013/2014. A assinatura está inserida na programação da reunião do conselho de administração da Abit, que acontece na sede da entidade.

O evento terá a presença do presidente da Apex-Brasil, Mauricio Borges, do presidente da Abit, Rafael Cervone, e do superintendente, Fernando Pimentel. “Uma das principais características desse novo convênio é a customização de projetos para atender a necessidades específicas de cada perfil de empresa participante e a forte aposta em tecnologia, design, inovação e sustentabilidade para diferenciar o produto brasileiro no mundo”, detalha Borges.

Atualmente, 248 empresas participam do Texbrasil, contribuindo com 64,8% das exportações brasileiras do setor têxtil e de confecção, totalizando US$ 721 milhões no período entre maio de 2013 e setembro de 2014 e com previsão de alcançar US$ 806 milhões no fechamento até novembro, que ainda não foi divulgado.

 “Os anos de 2013/2014 foram positivos e conseguimos superar a meta, que tínhamos firmado em US$ 613 milhões. Isso é resultado do esforço para a reestruturação do Programa a fim de seguir a movimentação do mercado, acompanhando as empresas mais de perto, para compreender e entender as necessidades individuais”, comenta Rafael Cervone, presidente da Abit.

No convênio, entre os mercados-alvo do Programa, a Unidade de Inteligência Comercial e Competitiva da Apex-Brasil, em parceria com a Abit, selecionou 11, que dividiu entre principais e secundários. O primeiro grupo inclui os países em que será necessário centrar mais esforços de prospecção, promoção e imagem.

Está dividido em Bolívia e Oriente Médio (vestuário), China (têxtil e vestuário), Peru, México e Estados Unidos (têxtil, vestuário e cama, mesa e banho). Já os mercados secundários recebem esse nome não por serem menos importantes, mas por representarem países onde as empresas brasileiras já têm um esforço relevante de exportações e que deve ser intensificado. São eles: Argentina e Colômbia (têxtil) e França, Reino Unido e Japão (vestuário).

Parceria

O Programa Texbrasil foi criado em 2000 com o objetivo de organizar as empresas brasileiras para a oferta de produtos têxteis e de confecção no mercado internacional. Em 14 anos de parceria entre a Apex-Brasil e a ABIT, já foram firmados oito convênios, com investimentos de R$ 278 milhões, gerando um volume de negócios de US$ 3,6 bilhões.

Fonte: Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta