ApexBrasil apresenta startups brasileiras a investidores em Santiago do Chile durante missão de imersão

0

Brasília – Para uma startup crescer e internacionalizar suas atividades, precisa de investidores ou parceiros. Um bom pitch é o caminho para alcançá-los. Trata-se de uma rápida apresentação com informações chave sobre quem é você, qual é a sua empresa, qual é o problema e a solução que você oferece, dados do mercado, o nível do seu impacto, de qual montante você precisa e porque vale a pena ser investido, apresentadas de maneira sucinta e atraente para despertar o interesse do investidor.

“É um resumo capaz de vender e conquistar”, explica o fundador da plataforma FitPitch, Roberto Machado, que desde 2018 faz os treinamentos de pitch das empresas participantes do StartOut Brasil. “Eu diria que todo empreendedor está – ou deveria estar – sempre fazendo pitch”, conclui Roberto, que já tem oito anos de experiência na área, inclusive no Vale do Silício.

A “missão de imersão” do ciclo Santiago 2022 do StartOut Brasil, segunda etapa do programa, começou neste domingo (12) na capital chilena, Santiago, e vai até o dia 17. Ao longo dos próximos seis dias, as 15 startups selecionadas participarão de treinamentos, mentorias técnicas e de negócios, seminários de mercado, rodadas com prestadores de serviços, visitas técnicas, reuniões de negócios, apresentação para investidores e aceleradoras, bem como encontros com empreendedores brasileiros já estabelecidos no mercado local. As atividades presenciais foram organizadas pela Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (ApexBrasil) com apoio da Embaixada local.

“É fundamental eles praticarem e aprimorarem o pitch, pois é o discurso que eles vão levar para a plateia de possíveis investidores e possíveis parceiros. O objetivo desse primeiro dia é dar essa oportunidade para esse aprimoramento, pois parece simples, mas não é. É necessário adequar o discurso ao objetivo da empresa”, explica a Gerente de Competitividade da ApexBrasil, Clarissa Furtado, que está acompanhando as empresas na “missão de imersão” em Santiago.

Um dos desafios das empresas participantes nesse primeiro dia foi apresentar o pitch em apenas um minuto. Conhecido como “elevator pitch”, a proposta literalmente reproduz a ideia de que um pequeno empresário encontrou dentro do elevador o investidor ideal para o seu projeto e tem somente o tempo desse trajeto para apresentar e vender sua ideia. Tradicional no exterior, este tipo de justificativa exige técnica, estratégia e muita preparação, para que a venda desperte interesse.

Além desse modelo, existem outros tipos de pitches, que podem durar de 3 a 5 minutos e ter apoio de uma apresentação de slides. Cada fala deve ser adequada a cada tipo de interesse. Ao longo desse primeiro dia de atividades, as startups também praticaram e receberam dicas e técnicas sobre estes outros modelos de pitches.

Uma das empresas participantes deste ciclo é a Mindsight, startup que oferece software para gestão de pessoas usando inteligência artificial. Head de vendas de recrutamento de seleção da empresa, Gabriel Rocha diz que o pitch é um desafio, mas também uma oportunidade.

“Empacotar o seu produto em tão pouco tempo é um grande desafio e também uma grande oportunidade de conhecer ainda mais o seu negócio. É dar uns passos para trás e sair do aprofundamento para poder explicar e passar a mensagem para alguém que nunca ouviu”, afirma Gabriel.

Além do Brasil, sua empresa tem clientes na Argentina, Colômbia e México. Também já tem clientes no Chile, mas ele conta que além de clientes, a empresa quer operar nesses países. A Mindsight existe desde 2015 e tem um time de 92 pessoas. “Neste mundo globalizado e competitivo, programas como esse são como oportunidade de ouro”, conclui Gabriel.

Na primeira etapa do programa, a “missão virtual”, que aconteceu entre março e maio deste ano, a apresentação de pitch foi um dos critérios de análise para selecionar dentre as 40 startups participantes, as 15 que seguiriam para a “missão de imersão”.

Dentre as atividades dessa missão, na próxima terça-feira (14) as empresas terão a oportunidade de apresentar o pitch para a aceleradora chilena Startup-Chile, que há mais de 10 anos recebe startups do mundo inteiro e é referência no setor. Já na quinta-feira (16) será realizado o Demoday, dia em que as startups vão apresentar seus pitches para uma banca avaliadora composta por investidores e especialistas em tecnologia e inovação do Chile.

A Yours Bank, startup do Rio Grande do Sul com um ano de operação no Brasil, também é uma das empresas participantes deste ciclo. O CEO da empresa, Felipe Diesel, afirma que “saber falar sobre sua empresa, sua ideia ou projeto em três minutos ou menos define e aprimora o seu entendimento da empresa e capacidade de síntese. Todo mundo deveria aprender a fazer um pitch”.

A empresa oferece um banco digital voltado para crianças e adolescentes. No Chile, ele quer encontrar novos parceiros como escolas e instituições financeiras, e viu no programa StartOut Brasil a oportunidade que precisavam.

“A ApexBrasil, por meio do StartOut, promove essas conexões. É uma oportunidade muito boa, pois sozinho seria muito difícil fazer essas conexões com possíveis parceiros internacionais”, conclui Felipe.

Na agenda da semana em Santiago, além de reuniões de mentoria e negócios organizadas por matchmaker local, as startups assistirão ao seminário “Ecossistema de Inovação”, com a participação do Ministro-Conselheiro da Embaixada do Brasil em Santiago, Fábio Abud Antibas, da Gerente de Competitividade da ApexBrasil, Clarissa Furtado, e da subsecretária do Ministério de Ciência, Tecnologia, Conhecimento e Inovação do Chile, Carolina Gainza.

No seminário, as startups brasileiras já instaladas na capital chilena, My DNA e Wenbii, vão compartilhar suas experiências de internacionalização no país. Haverá ainda a participação da empresa Stefanini Chile, da aceleradora chilena Imagine Labs e da startup chilena Lex Go.

As expectativas para a “missão de imersão” são de muito trabalho, aprendizado e experiência, afirmam todos os participantes.  Para a ApexBrasil, o objetivo é apoiar a extensão internacional de operações dessas empresas participantes.

Startups participantes 

As 15 startups que participam da “missão de imersão” do ciclo Santiago 2022 do programa StartOut Brasil são: adamaNT, Aware., CliclCompliance, Conatus Ambiental, Everlog, MeuResíduo, Mindsight, NoMoo, Onegrid, PWTech, Quiron, School Guardian, Serall, Suthub e Yours Bank. Dessas, oito são de São Paulo, três do Rio Grande do Sul, duas do Rio de Janeiro, uma de Santa Catarina e uma do Espírito Santo. Todas já receberam algum tipo de investimento ou tem faturamento igual ou acima de R$ 500 mil.

(*)  Com informações da ApexBrasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta