Balança comercial começa setembro com superávit de US$ 480 milhões

0
137

Última atualização:

Brasília (Comex-DF) – A balança comercial da primeira semana de setembro, com quatro dias úteis (1º a 6), fechou com uma corrente de comércio (soma de exportações e importações) de US$ 4,996 bilhões (média diária de US$ 1,249 bilhão). O saldo comercial (diferença entre os valores exportados e importados) apresentou superávit de US$ 480 milhões (média diária de US$ 120 milhões).

Balança comercial começa setembro com superávit de US$ 480 milhões
Porto de Santos
Foto: Reinaldo Ferrigno

Na comparação pelo resultado médio diário, o saldo foi 18% menor que o de agosto último (US$ 146,4 milhões) e 4,3% abaixo do superávit de todo o mês de setembro de 2008 (US$ 125,4 milhões).

Exportações

As exportações, no período, chegaram a US$ 2,738 bilhões (média diária de US$ 684,5 milhões) e as importações a US$ 2,258 bilhões (média diária de US$ 564,5 milhões). Na comparação pelo resultado médio diário, as exportações foram 3,9% maiores que as de todo o mês de agosto de 2009 (US$ 659,1 milhões). O crescimento se deu pelo aumento no embarque de produtos manufaturados (19,9%), passando de US$ 266 milhões para US$ 319 milhões. As demais categorias apresentaram queda: semimanufaturados (-1,8%), de US$ 88,7 milhões para US$ 87,1 milhões; e básicos (-7,7%), de US$ 290 milhões para US$ 267,6 milhões.

Já em relação a setembro de 2008, ainda pelo critério da média diária, a média das exportações desta primeira semana apresentou queda de 24,8% devido à diminuição no embarque das três categorias: semimanufaturados (-30,2%), de US$ 124,8 milhões para US$ 87,1 milhões, por conta das reduções em óleo de soja em bruto, ferro-ligas, ferro fundido, ligas de alumínio, alumínio em bruto, semimanufaturados de ferro/aço e celulose; manufaturados (-24,5%), de US$ 422,3 milhões para US$ 319 milhões, em razão da retração nas vendas de etanol, aparelhos transmissores/receptores, motores e geradores elétricos, veículos de carga, aviões, autopeças, automóveis de passageiros e bombas e compressores; e básicos (-20,8%), de US$ 337,9 milhões para US$ 267,6 milhões, por causa de petróleo em bruto, minério de ferro, minério de manganês, algodão em bruto, carne suína, bovina e de frango, café em grão e fumo em folhas.

Importações

Pela média diária, as importações da primeira semana de setembro de 2009 aumentaram 10,1% frente a agosto deste ano (US$ 512,7 milhões), motivadas pelo aumento nas aquisições dos seguintes produtos: combustíveis e lubrificantes (+68%), adubos e fertilizantes (+31,5%), equipamentos elétricos e eletrônicos (+10%), plásticos e obras (+6%) e siderúrgicos (+4,8%).

Já a retração de 28%, em relação a todo o mês de setembro do ano passado, se deu pela diminuição no desembarque de adubos e fertilizantes (-42%), siderúrgicos (-39,6%), equipamentos mecânicos (-30,7%), veículos e automóveis (-28,9%), equipamentos elétricos e eletrônicos (-26%), químicos orgânicos/inorgânicos (-26,2%) e combustíveis e lubrificantes (-18,1%).

Ano

No acumulado do ano, o superávit foi de US$ 20,448 bilhões (média diária de US$ 120,3 milhões). Na comparação por valores, o número é 18,7% maior que o registrado no mesmo período do ano passado – superávit de US$ 17,223 bilhões e média diária de US$ 100,1 milhões – e 20,1% maior na comparação pela média diária.

As exportações, de janeiro a primeira semana de setembro deste ano, foram de US$ 100,673 bilhões (média diária de US$ 592,2 milhões) e as importações de US$ 80,225 bilhões (média diária de US$ 471,9 milhões), totalizando uma corrente de comércio de US$ 180,898 bilhões (média diária de US$ 1,064 bilhão). Pela média diária, o resultado das exportações deste ano foi 24,8% menor que o registrado no mesmo período do ano passado, enquanto, na mesma comparação, as importações caíram 31,3%.

Com informações da Assessoria de Imprensa do MDIC

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta