Brasil e Vietnã: em 30 anos, Parceria Estratégica, relações densas e comércio de US$ 5 bi

0

Brasília – Brasil e Vietnã comemoraram no último dia 8 de maio o trigésimo aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas e em três décadas poucos foram os países com os quais o Brasil alcançou, em curto espaço de tempo, um nível tão elevado de relações políticas, diplomáticas e comerciais como o Vietnã. No plano político-diplomático, o Brasil passou a figurar na relação dos 29 países com os quais o Vietnã  elevou o relacionamento estabelecendo uma Parceria Estratégica e negociou uma sólida e abrangente rede de acordos  nos mais diversos campos.

No plano comercial, as trocas bilaterais que eram praticamente irrelevantes em 2001, aumentaram 155 vezes até 2018, quando o fluxo de comércio bilateral (exportações+importações) totalizou mais de US$ 4,2 bilhões. A expectativa é de que este ano, pela primeira vez, o comércio bilateral deve ultrapassar a expressiva soma de US$ 5 bilhões.

Ao fazer uma avaliação dos 30 anos de relações intensas com o Brasil, o embaixado Do Ba Khoa afirmou que “pretendemos elevar nossa Parceria Estratégica a um novo patamar. Este é o nosso objetivo. As relações bilaterais vêm se desenvolvendo de forma muito positiva, temos uma cooperação satisfatória em todos os campos e a confiança política recíproca é cada vez mais reforçada. Nos últimos anos temos realizado uma intensa troca de visitas governamentais de alto nível e elas contribuem de forma decisiva para o aprofundamento da compreensão e da confiança política”.

Rede ampla de acordos bilaterais

O embaixador vietnamita destaca que “entre o Brasil e o Vietnã existem dezesseis acordos, protocolos e memorandos de cooperação envolvendo os dois governos, ministérios, estados brasileiros e províncias vietnamitas e também municípios dos dois países. A vasta rede de cooperação envolve acordos nas áreas de transporte marítimo, aviação civil, turismo, saúde e muitas outras. Em 2018, a VCCI assinou com sua congênere brasileira, a Apex-Brasil, um importante acordo de cooperação em matéria de comércio exterior e outro documento relevante foi firmado no setor da agricultura”.

Esse vasta rede de acordos será reforçada este ano, que será marcado por uma série de ações destinadas a aumentar o escopo da parceria brasileiro-vietnamita. No decorrer do ano, pelo menos doze delegações do Vietnã deverão visitar o Brasil e, em data a ser marcada, será realizada a 3ª. Reunião da Comissão Mista Brasil-Vietnã. Além disso, três importantes acordos estão prontos para serem firmados ainda este ano: Acordo-Quadro de Cooperação Científica e Técnica; Memorando de Cooperação em Defesa (com a participação a Avibras) e Acordo de Cooperação em Educação.

Outros passos importantes serão dados em 2019 visando encorpar e solidificar as relações entre os dois países. Entre outros merecem ser mencionados a implementação do Acordo na Aviação Civil com participação da Embraer, implementação do Memorando de Cooperação em Turismo, redução bilateral de barreiras técnicas, maior abertura bilateral de mercados e negociações sobre o Acordo de Livre Comércio Vietnã-Mercosul.

De acordo com o embaixador, “o Vietnã considera o Brasil um parceiro de primeira importância na América do Sul, da mesma forma que o Vietnã é um parceiro relevante para o Brasil no Sudeste asiático. Existem incontáveis áreas específicas para ampliarmos a cooperação bilateral e regional”.

Comércio em forte ascensão

Ao mesmo tempo em que aumentam a amplitude da vasta rede de acordos e mecanismos de cooperação bilateral, Brasil e Vietnã  buscam reforçar os laços comerciais. E as expectativas relacionadas ao crescimento do comércio bilateral que já eram bastante animadoras devem ganhar maior consistência após a visita ao Vietnã da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina, na semana passada.

Em Hanoi, a ministra foi recebida pelo primeiro-ministro Nguyen Xuân Phúc e pelo ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Xuan Cuong. Nesses encontros, as conversas giraram em torno de um tema principal: abertura do mercado vietanmita para produtos brasileiros (melão e bovinos vivos, entre outros) e acesso ao mercado brasileiro para produtos vietnamitas (como camarões e peixes).

Ao receber a ministra brasileira, o primeiro-ministro Nguyen Xuán Phúc ofereceu o Vietna como porta de entrada para produtos brasileiros no gigantesco mercado asiático. O líder vietnamita citou a atração de investidores brasileiros para fazer do Vietnã uma espécie de hub de entrada de produtos brasileiros para atingir aquele mercado, proposta recebida com satisfação pela ministra Teresa Cristina.

Com tantas iniciativas em curso, a expectativa é de que este ano o fluxo de comércio entre os dois países superará, pela primeira vez na história, a marca de US$ 5 bilhões. Para que isto aconteça, basta  que seja mantido o ritmo das trocas registradas até o mês de abril. Nos dois sentidos, o fluxo comercial bilateral somou US$ 1,407 bilhão nos quatro primeiros meses deste ano.

De janeiro a abril, graças a uma forte alta de 37,38%, as exportações brasileiras somaram US$ 638 milhões.  Do outro lado, as vendas vietnamitas tiveram uma ligeira queda de 6,86% e totalizaram US$ 769 milhões.

Esses números fizeram do Vietnã o trigésimo principal país de destino das exportações brasileiras e colocaram o país asiático no décimo-quinto lugar entre os maiores exportadores para o Brasil.

As exportações brasileiras praticamente se concentraram nos produtos básicos, responsáveis por 84,7% dos embarques totais, no valor de US$ 540 milhões. Enquanto isso, os bens manufaturados geraram receita de apenas US$ 48 milhões (correspondentes a 7,51% do total embarcado).

Os principais produtos vendidos para o Vietnã no período foram milho em grãos (US$ 207 milhões), soja (US$ 131 milhões), algodão em bruto (US$ 66 milhões), farelo de soja (US$ 54 milhões) e couros e peles (US$ 26 milhões).

Por sua vez, a pauta exportadora vietnamita para o Brasil contou com a participação de 94,5% de produtos manufaturados e apenas 5,06% em produtos básicos, no valor de  US$ 39 milhõe. Os destaques nas vendas do Vietnã para o Brasil foram circuitos impressos para aparelhos de telefonia (US$ 294 milhões), circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos (US$ 65 milhões), calçados (US$ 63 milhões), partes de aparelhos e microconjuntos eletrônicos (US$ 43 milhões) e demais produtos manufaturados (US$ 31 milhões).

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta