Calçado brasileiro desperta atenção de representantes do e-commerce dos Estados Unidos



Última atualização: 14 de Agosto de 2018 - 16:11
0
106

Novo Hamburgo – A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promove, por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Projeto Comprador Vip com o grupo de e-commerce americano Revolve.com.

A iniciativa prevê visitas em fábricas e showrooms nas regiões gaúchas do Vale do Sinos e Vale do Paranhana, os dois principais polos de calçados do Brasil, entre os dias 20 e 22 de agosto.

Um dos maiores grupos de e-commerce dos Estados Unidos, o Revolve.com virá ao Brasil em busca de fornecedores de calçados femininos para uma das suas marcas, a Raye. Segundo a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, o gigante americano busca produtos de maior valor agregado para um público consumidor exigente.

Ruisa conta, ainda, que como o grupo possui uma gama extensa de marcas, o evento pode servir de porta de entrada para mais empresas brasileiras. “Trata-se de um comércio muito forte e relevante nos Estados Unidos, o mais importante mercado de calçados do mundo. O Revolve.com registra mais de 50 milhões de visitas por mês, e com grande conversão em vendas”, conta a analista.

Mercado

Maior mercado de calçados do mundo, os Estados Unidos registram vendas anuais de mais de US$ 80 bilhões, conforme dados da FDRH (associação de distribuidores e varejistas de calçados dos Estados Unidos – sigla em inglês). Quase todo o calçado consumido no país é importado, especialmente dos países asiáticos. Para o Brasil, o país já foi o maior mercado no exterior, tendo sido ultrapassado recentemente pela Argentina.

“Os Estados Unidos têm um mercado de grande potencial, mas é muito sensível ao preço, quesito em que é impossível concorrer com os asiáticos. A estratégia do Brazilian Footwear é apoiar a promoção de imagem das marcas e, ao mesmo tempo, sensibilizar as empresas para que desenvolvam produtos diferenciados e que não concorram apenas no preço”, ressalta Ruisa.

Entre janeiro e julho de 2018, os americanos importaram 5,3 milhões de calçados brasileiros, pelos quais foram pagos US$ 85,5 milhões, quedas de 13,5% em volume e de 23,4% em receita no comparativo com igual período do ano passado. Por outro lado, o preço médio do produto é US$ 16, muito acima da média geral, US$ 9.

Participam da iniciativa as marcas Carrano, Viviar, Cristófoli, Luz da Lua, Werner, Tabita, Vicenza, Guilhermina, Dumond, Capodarte, Jorge Bischoff e Smidt Shoes.

(*) Com informações da Abicalçados

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta