China e União Europeia são parceiros e não rivais, diz Ministério do Comércio Exterior chinês

0

Beijing – O Ministério do Comércio da China enfatizou na sexta-feira (26) que a China e a União Europeia (UE) são parceiros e não rivais, e que a cooperação entre os dois lados é muito maior do que qualquer concorrência.

A China deseja trabalhar junto com a UE para salvaguardar e desenvolver um sistema comercial multilateral, disse o ministério por meio de um comunicado à imprensa em resposta a um documento de política comercial divulgado pela Comissão Europeia em 18 de fevereiro.

A China aprecia o fato de que a UE continuará a defender o multilateralismo e uma ordem internacional baseada em regras, apoiar políticas comerciais que caracterizem abertura e engajamento e dar importância às relações econômicas e comerciais com a China como sempre, conforme declarado no documento, disse o comunicado.

No entanto, deve ser apontado que a afirmação da UE de que a China segue “um modelo capitalista de estado distinto”, que “apresenta desafios crescentes para o sistema de governança econômica global estabelecido”, não é verdade, disse o ministério.

Também é infundado dizer que um dos principais motores da crise que a Organização Mundial do Comércio (OMC) enfrenta é que a adesão da China à organização não levou à sua transformação em uma economia de mercado.

A China rejeita firmemente tais afirmações e acusações, disse o ministério.

A China vem construindo uma economia de mercado socialista de forma abrangente, permitindo que o mercado desempenhe um papel decisivo na alocação de recursos e desempenhando plenamente o papel do governo.

A história mostra que o sistema de governança econômica do país contribui com a sabedoria chinesa para a governança econômica global, disse o comunicado à imprensa.

O ministério disse que a China sempre foi um participante ativo, um firme apoiador e um importante contribuidor da OMC. As raízes da crise atual da OMC são o unilateralismo e o protecionismo.

Em um momento em que a OMC enfrenta sérios desafios, a China e a UE devem trabalhar juntas para salvaguardar a autoridade e representatividade do sistema de comércio multilateral e fortalecer a solidariedade e aumentar a confiança entre os membros da OMC, disse o ministério.

De acordo com o documento, a UE adotará restrições mais rígidas na seleção de investimentos estrangeiros, controle de exportações, compras públicas e subsídios estrangeiros.

A China espera que a UE aumente a transparência de suas políticas, mantenha a equidade, a justiça e a não discriminação e evite impedir o comércio e os investimentos internacionais normais, disse o Ministério, acrescentando que diferentes sistemas sociais e modelos econômicos não devem impedir as duas partes de agirem com uma cooperação mutuamente benéfica.

A China está pronta para trabalhar com a UE para fortalecer o diálogo, aprofundar a cooperação e lidar adequadamente com as diferenças para impulsionar o desenvolvimento estável e de longo prazo das relações econômicas e comerciais China-UE.

A China espera que a UE continue a aderir ao livre comércio e ao multilateralismo, trabalhar com a China para se opor ao unilateralismo e ao protecionismo e facilitar a recuperação da economia mundial o mais rápido possível, disse o ministério.

(*) Com informações da Agência Xinhua

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta