China responde com veemência a acusações de máscaras “de má qualidade” exportadas a terceiros países

0
239

Última atualização:

Beijing – É irresponsável que alguns meios de comunicação façam polêmica em cima dos supostos problemas de qualidade dos produtos antiepidêmicos chineses antes de esclarecerem os fatos, disse na quinta-feira (02) uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China.

Em uma entrevista coletiva, Hua Chunying disse esperar que tais reportagens não sejam publicadas por motivos ocultos, porque tais ações não ajudam na cooperação internacional contra a epidemia.

Ela fez o comentário em resposta a notícias de alguns países europeus, incluindo a Holanda e a Bélgica, de que as máscaras compradas da China não atendiam o padrão e tinham problemas de qualidade.

De acordo com investigações preliminares das autoridades chinesas relevantes, as máscaras foram compradas pelas empresas holandesas. As empresas chinesas informaram ao lado holandês que as máscaras eram para fins não médicos antes da entrega, e os procedimentos para a declaração de exportação foram realizados em nome de “máscaras não médicas”, disse Hua.

“Na atual situação global de combate à pandemia, a China supera suas próprias dificuldades para atender às necessidades urgentes de outros países de suprimentos. Algumas empresas chinesas estão fazendo seu esforço máximo a 24 horas para fornecer diversos materiais antiepidêmicos à comunidade internacional”, disse ela.

Destacando que a China sempre atribui grande importância à qualidade dos produtos de exportação, Hua assinalou que as autoridades chinesas relevantes acabam de emitir medidas mais rigorosas de supervisão, exigindo que as empresas exportadoras de materiais médicos relevantes, quando declararem na alfândega, forneçam declarações escritas ou eletrônicas de que os produtos de exportação obtiveram certificados de registro de produtos/dispositivos médicos da China e, entretanto, atendem aos padrões ou requisitos de qualidade do país (região) importador.

As máscaras têm diferentes padrões e níveis de proteção, algumas para uso médico, enquanto outras apenas para proteção diária, disse Hua.

“Lembramos aos usuários que verifiquem cuidadosamente o uso e as instruções dos produtos e se eles atendem aos padrões dos compradores antes de comprá-los e usá-los, para evitar erros em emergências e usar máscaras não médicas para uso médico”, disse.

(*) Com informações da Xinhua

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta