China Trade Center e CCCMC promovem webinar para apresentação de oportunidades para o setor de produtos de fixação

0

São Paulo (SP) – O Grupo China Trade Center em parceria com a Câmara de Comércio de Importadores e Exportadores de Metais, Minerais e Produtos Químicos da China (CCCMC), organizará nos dias 15 e 16 de dezembro o evento online de aproximação entre empresas e empresários brasileiros e chineses do segmento de produtos para fixação.

No dia 15, haverá um Workshop aberto e gratuito para o público em geral e cerca de 25 fornecedores do setor de produtos para fixação farão uma breve introdução de suas empresas para os participante. As apresentações contarão com tradução simultânea do mandarim para o português.

No dia 16, o evento focará no público profissional e  haverá o matchmaking online entre os empresários brasileiros e chineses. Poderão participar indústrias que desejam desenvolver parcerias com fornecedores chineses no sentido de ampliar sua gama de produtos, importadores, distribuidores, comerciantes e as pessoas que participarão do Workshop que venham a ter interesse em iniciar conversas ou trocar contatos com as empresas da China.

O setor de produtos para fixação é muito forte no Brasil, sua aplicação é ampla e engloba diferentes setores como por exemplo as áreas de materiais de construção, fabricação de móveis, estruturas metálicas e de madeira, bem como aplicação para indústrias em geral.

Segundo informações da Revista do Parafuso, o Brasil é um relevante importador de fixadores, por outro lado não é um grande exportador, o país precisaria mudar muito para incentivar a produção interna para muitos produtos do setor, começando por modernização das leis e tributação. O exemplo dado é que uma prensa comprada na Itália de um fornecedor local custa cerca de 35% menos do que pago por um cliente brasileiro, considerando que a Itália tem custos bem maiores que os do Brasil. Além disso, não há fabricantes similares dessas prensas no Brasil somados a questão da tributação dos empregos, o já conhecido custo Brasil.

Por essas e outras razões, o país importa uma quantidade grande, principalmente dos produtos que não são fabricados aqui e especialmente da China, seguida dos EUA. A pandemia prejudicou as importações, por exemplo, em 2020, o valor de importação de parafusos e similares foi de US$ 499,27 milhões e 104.0 mil toneladas e segundo a Revista. E como o Ministério da Economia (ME) não disponibiliza os volumes por país, em moeda, no ano de 2020, a China seguiu na liderança com 25% das importações (US$ 127,0 milhões. Entre os cinco primeiros países figuram ainda os EUA com 16% (US$ 77,5 milhões); Japão, 10% (US$ 51,9 milhões); Alemanha, 10% (US$ 51,6 milhões) e Taiwan, 5,6% (US$ 27,7 milhões).

Com a recuperação dos mercados, de janeiro a junho de 2021, as importações alcançaram o valor de US$ 457 milhões, cifra 32,1% maior que a registrada no primeiro semestre de 2020, e em volume (t) 59,3% maior.

No que tange aos valores, a China mantém-se no topo entre as dez maiores nações fornecedoras, com 23% do total. Em seguida vem EUA, 16%; Alemanha, 11%; Japão, 9,9%; Itália, 9,7%; França, 4,4%; Taiwan, 3,9%; Coréia do Sul, 3,2%; Suécia, 3,0% e Índia, 2,3%.

Neste contexto, o Grupo China Trade Center convida todos os interessados a participar do evento, o catálogo de fornecedores pode ser visto no link abaixo:

https://documentcloud.adobe.com/link/track?uri=urn:aaid:scds:US:5b8a6b4a-710f-42cb-975d-84fb52b70f5b

As inscrições tanto para o Workshop como para o Matchmaking podem ser feitas gratuitamente nos links a segu:

Workshop:

https://zoom.us/webinar/register/WN_D4yyCPGiQyGUX85CPNDf_Q

Matchmaking:

https://zoom.us/meeting/register/tJIqc-6oqT8rGdW7NuomhzytVg_2Xx4Un_Nm

(*) Com informações do China Trade Center, da Revista do Parafuso e da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta