CNI realiza rodadas virtuais de negócios com empreendedores da moda envolvendo MPMEs

0

Brasília – Começou nesta segunda-feira (28), o Encontro Virtual de Negócios Internacional do Complexo da Moda, realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa visa capacitar empresários brasileiros da moda sobre o comércio exterior e aproximá-los de possíveis compradores de outros países por meio de reuniões virtuais.

Coordenado pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), o evento acontece até o dia 1º de julho. Ao todo, 36 empresas de nove estados se inscreveram e participam de webinars preparatórias com dados, informações, práticas, ferramentas e tendências para o setor da moda. As rodadas de negócios vão acontecer a partir da quarta-feira (30).

Para o coordenador de Serviços de Internacionalização da CNI, Felipe Spaniol, esses eventos ajudam MPMEs a perceberem como internacionalizar um produto ou serviço também eleva a qualidade da marca no país de origem.

“Além de capacitar as empresas quanto à necessidade de participar de rodadas de negócios virtuais e processos burocráticos da exportação, a Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) mostra que o básico para exportar é um diferencial quando comparamos com empresas do mesmo setor que ainda não internacionalizaram, como as adaptações das embalagens”, explica Spaniol, que participou da abertura do evento de forma virtual.

Outras iniciativas da parceria CNI e Apex Brasil em 2021

Empresários que desejam exportar, mas ainda não tiveram contato com o mercado internacional, poderão participar de missões prospectivas, comerciais e encontros de negócios virtuais no segundo semestre de 2021. Ao todo, serão realizadas 10 iniciativas para MPMEs de diversos setores. Foram investidos cerca de R$2,4 milhões e a expectativa é que 485 empresas participem. Para mais informações, acesse o site da Rede CIN ou entre em contato com a federação das indústrias do seu estado.

(*)  Com informações da CNI

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta