Comércio exterior da China pode alcançar desenvolvimento de alta qualidade, diz autoridade chinesa

0
465

Última atualização:

Beijing – O comércio exterior da China tem condições e capacidade para alcançar um desenvolvimento de alta qualidade, embora a Covid-19 tenha dado um duro golpe no mercado global, disse o chefe da Administração Geral das Alfândegas (AGA), Ni Yuefeng, em uma entrevista à Xinhua.

De acordo com as estimativas da Organização Mundial do Comércio (OMC), o volume do comércio global de mercadorias cairá cerca de 18,5% ao ano no segundo trimestre deste ano.

Em meio às crescentes incertezas no mercado mundial, o comércio exterior da China superou as expectativas do mercado nos últimos meses. O volume total do comércio exterior aumentou 6,5% ano a ano em julho, com as exportações e importações aumentando 10,4% e 1,6%, respectivamente.

Apesar da retração do comércio global, a participação da China está crescendo, o que indica o aumento da competitividade do setor e o aumento da capacidade de contrariar a pressão, disse Ni.

Nos primeiros quatro meses de 2020, a participação das exportações da China no mercado global cresceu 0,1 ponto percentual. E dado que a economia continua se recuperando, esta participação pode aumentar ainda mais, de acordo com Ni.

Ele atribuiu a resiliência do setor às medidas oportunas do governo para conter a propagação do vírus. Essas medidas criaram condições para que as empresas de comércio exterior retomassem as operações, juntamente com uma série de outras políticas para ajudá-las a superar as dificuldades.

Como parte dos esforços para estabilizar o comércio e os investimentos estrangeiros, a China otimizou os serviços para as empresas e aumentou as reduções de impostos de exportação. Dados oficiais mostram que a China concedeu descontos ou isenções de impostos de exportação no valor de 812,8 bilhões de yuans (US$116,6 bilhões) no primeiro semestre do ano para aliviar a pressão financeira sobre as empresas.

Enquanto isso, as empresas de comércio exterior, especialmente as privadas, continuaram investindo mais em inovação, o que também ajudou a sustentar o crescimento do setor, de acordo com Ni.

Na segunda metade do ano, a AGA simplificará ainda mais os procedimentos de desembaraço e reduzirá os custos logísticos para otimizar o ambiente de negócios nos portos, acrescentou Ni.

Haverá mais esforços para apoiar a construção da província insular de Hainan, no sul da China, em um porto de livre comércio de alto nível e permitir que as zonas alfandegárias do país desempenhem um papel melhor na estabilização do comércio e dos investimento estrangeiros, disse.

Ele também prometeu avançar as reformas na regulamentação do comércio eletrônico transfronteiriço para ajudar as empresas a melhor explorar o mercado global.

(*) Com informações da Agência Xinhua

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta