Cuiabá lança em julho edital de R$ 500 milhões em obras de mobilidade urbana

0
110

Última atualização:

Fonte: Portal Copa 2014

Cuiabá – Meio bilhão de reais. Este é o valor orçado pelo Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) e Agência Executora das Obras da Copa do Mundo no Pantanal (Agecopa) para as obras de mobilidade urbana na Grande Cuiabá para a Copa de 2014. O assunto foi debatido na última sexta-feira em uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Estado. A realização da audiência, por solicitação do Dnit, é uma exigência legal para debater grandes licitações.

Durante a audiência foram apresentados os projetos de mobilidade urbana que deverão desafogar o tráfego e facilitar o acesso à nova Arena Multiuso, centros de treinamento, hoteis, aeroporto, rodoviária e hospitais em Cuiabá e na cidade vizinha, Várzea Grande. No total estão previstas 16 intervenções nas avenidas Fernando Corrêa da Costa, Miguel Sutil e da FEB.

O projeto prevê a construção de viadutos, seis passagens subterrâneas e duas pontes, além do alargamento de avenidas, por onde deverão passar os BRTs (Transporte Rápido por Ônibus). Também foi discutido o melhoramento e adequação de capacidade nas rodovias BR-070, BR-163 e BR-364 nas travessias urbanas da capital mato-grossense.

Desde março o Ministério dos Transportes tem em mãos os projetos básicos das intervenções nas rodovias e avenidas. A previsão é de que os editais para essas obras sejam lançados no início de julho, os contratos sejam assinados ainda este ano e que as obras comecem no primeiro trimestre de 2011.

O diretor-geral do Dnit, Luiz Antônio Pagot, disse que os recursos para as obras estão assegurados e que os projetos serão importantes não apenas para a Copa, mas para melhorar a trafegabilidade entre Cuiabá e Várzea Grande por meio das rodovias federais.

“Os recursos estimados em R$ 364 milhões estão assegurados pelo Dnit, que já aprovou os projetos das intervenções nas três rodovias federais que se sobrepõem às avenidas Fernando Corrêa da Costa, Miguel Sutil e avenida da FEB”, disse o diretor do Dnit, que conhece bem as rodovias federais que cruzam o Estado, pois já ocupou o cargo de secretário de Infra-estrutura de Mato Grosso.

Cinco lotes

O diretor de Infraestrutura da Agecopa, Carlos Brito, observou que essas obras devem resolver problemas crônicos que atualmente penalizam a população. Ele observou, no entanto, que antes dessas obras impactantes outras deverão ser feitas. Essas outras obras menores serão essenciais para permitir que o trânsito possa fluir e criar novas rotas de acesso às áreas de maior densidade populacional quando as grandes obras começarem.

“São obras para que possamos assegurar minimamente a trafegabilidade nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande. Esse outro pacote representa algo em torno de R$ 142 milhões”, frisou.

Carlos Brito disse que as maiores obras devem ser licitadas em cinco lotes. Empresas especializadas na realização desse tipo de intervenção urbana ou consórcios devem ser contratados para realizar o serviço. “São investimentos sem precedentes que demorariam 30 anos para se concretizar no ritmo normal das ações administrativas, mas que em função da Copa serão agilizados”, completou o diretor.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta