Déficit no comércio de serviços da China cai 50,6% e totaliza US$ 75,71 bilhões entre janeiro e agosto

0
291

Beijing – A estrutura do comércio da China continuou melhorando e o déficit no comércio de serviços do país diminuiu ainda mais nos primeiros oito meses deste ano, segundo dados divulgados pelo Ministério do Comércio (MOC, em inglês).

Durante o período, a China registrou um déficit de 515,62 bilhões de yuans (US$ 75,71 bilhões) no comércio de serviços, uma baixa de 50,6%, ou 527,52 bilhões de yuans ante um ano anterior, segundo o MOC.

O volume total de comércio de serviços do país chegou a 2,99 trilhões de janeiro a agosto, uma queda anual de 16,3%, de acordo com os dados do MOC.

O comércio de serviços intensivos em conhecimento da China manteve forte resiliência no período, expandindo 8,5% para 1,32 trilhão de yuans e representando 44,1% do total do comércio de serviços.

Os setores como telecomunicações, serviços da computação e informação e serviços de seguros registraram rápido crescimento tanto em exportações como importações, informou a entidade.

Ao mesmo tempo, os serviços de turismo foram notavelmente afetados pela pandemia e as restrições de viagem associadas, o que prejudicou severamente o turismo no mundo. Nos primeiros oito meses, o volume do comércio de serviços turísticos caiu 45,8% para 724,9 bilhões de yuans.

Excluindo o setor de turismo, o volume do comércio de serviços do país de janeiro a agosto esteve basicamente no mesmo nível que o mesmo período do ano passado, segundo o MOC.

Ao contrário do comércio de mercadorias, o comércio de serviços refere-se a venda e entrega de produtos intangíveis como transporte, turismo, telecomunicações, construção, publicidade, computação e contabilidade.

(*) Com informações da Xinhua

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta