Doria anuncia visita ao Catar e Emirados Árabes Unidos em junho para atrair investimentos

0
13

São Paulo – O governador do estado de São Paulo, João Doria, anunciou nesta quarta-feira (24) que visitará o Catar e os Emirados Árabes Unidos de 14 a 18 de junho para se reunir com representantes de fundos de investimentos. A prioridade, segundo ele, será atrair investimentos para os setores de infraestrutura, agronegócio e desenvolvimento imobiliário.

A divulgação da agenda foi feita durante a coletiva de imprensa para correspondentes estrangeiros no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Estavam presentes cerca de 25 profissionais da imprensa internacional que atuam no Brasil, incluindo a reportagem da ANBA.

Segundo o governador, a programação será em Doha, Dubai e Abu Dhabi. “Ali se concentram oito dos dez maiores fundos de investimentos do mundo, são fundos já consolidados aqui no Brasil, com investimentos em portos, aeroportos e infraestrutura, que representam prioridade para nós, no programa de privatização e desestatização do governo de São Paulo”, declarou, enfatizando que a infraestrutura será a prioridade nas abordagens com os fundos de investimentos árabes.

“A segunda prioridade está no agronegócio, há um grande interesse dos fundos no desenvolvimento do agro, o Brasil é um grande celeiro e São Paulo representa mais de 20% da produção agrícola nacional, além de ser líder em açúcar, álcool, laranja, limão, e ter uma posição expressiva em proteína animal e em grãos como café e soja”, informou.

O terceiro setor prioritário da pauta com os fundos árabes é o desenvolvimento imobiliário. “Os árabes têm muito interesse no setor imobiliário no Brasil em geral e mais especificamente no estado de São Paulo, em diferentes frentes, imóveis corporativos, para residências e para a hotelaria, principalmente hotéis 4 e 5 estrelas e resorts”, explicou. Segundo dados do governo de São Paulo, o estado representa 32% da economia nacional.

Doria disse também que o Autódromo de Interlagos, que é de propriedade da Prefeitura de São Paulo, deve ser privatizado em leilão no ano que vem, e que existe interesse no modelo dos administradores do autódromo de Abu Dhabi, que ele visitou quando foi prefeito do município de São Paulo. “É um modelo de privatização e complexo turístico ideal para São Paulo, com hotéis, residências e shoppings, um exemplo de eficiência”.

Perguntado se a abertura de um escritório em Jerusalém para promover negócios com Israel – anunciada pelo governo federal – pode afetar a relação comercial dos países árabes com o estado de São Paulo, Doria respondeu: “Essa pergunta eu passo”. Foi a única pergunta que o governador se negou a responder em toda a coletiva. Palestinos e israelenses reivindicam soberania sobre Jerusalém, e a iniciativa do presidente Jair Bolsonaro em prol de Israel causou mal estar do lado árabe.

Além dos países árabes, o governador visitará Nova York (Estados Unidos), de 10 a 15 de maio, Londres (Reino Unido), de 06 a 11 de julho, e a China, de 03 a 10 de agosto. O estado de São Paulo irá inaugurar um escritório comercial em Xangai. Segundo Doria, Bolsonaro também participará desta viagem. O governador irá ainda ao Japão, de 18 a 21 de setembro, onde deve ser anunciado um novo investimento conjunto entre o estado e o país asiático na área automotiva.

Doria falou também sobre a Cúpula do Brics, grupo de cinco grandes países emergentes: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O encontro acontecerá no Brasil em novembro deste ano, com reuniões em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

“Os líderes estão todos pré-confirmados, nós sempre estamos trabalhando em uma agenda conjunta com o Itamaraty e com o Ministério da Economia para apresentar programas conjuntos dentro da pauta dos Brics, e estamos organizando uma recepção a ser confirmada aqui no Palácio dos Bandeirantes; é uma agenda importante pra debater questões econômicas e políticas entre os países, e coloca o Brasil no mapa da mídia internacional”, destacou.

Sobre a Argentina, Doria disse ser um admirador e amigo do presidente Mauricio Macri, que torce para que ele seja reeleito e que o país retome o crescimento econômico para manter boas relações de comércio com o Brasil.

“Gosto de sua política liberal, conheço as dificuldades financeiras da Argentina, mas entendo que com destreza e respeitando as condições políticas, econômicas e sociais, o país retomará seu caminho de crescimento, um país que é um grande parceiro comercial do Brasil e de São Paulo.”

O governador anunciou que o controle da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), maior central de abastecimento da América Latina, passará do governo federal para o governo do estado ainda este ano. Ele disse que o terreno onde atualmente fica o Ceagesp, que pertence à União, se tornará um Centro Internacional de Tecnologia e Inovação, ou “Vale do Silício urbano”, semelhante ao norte-americano.

O Ceagesp, segundo Doria, será realocado para uma área seis vezes maior, em local com maior facilidade de acesso ao Porto de Santos, ainda sem endereço divulgado, “para não haver especulação imobiliária”. “Vamos anunciar no momento oportuno, mas é uma área relativamente próxima à capital paulista”, informou.

Estavam presentes na coletiva outras autoridades como o vice-governador Rodrigo Garcia e os secretários da Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles, de Relações Internacionais, Julio Serson, de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, da Educação, Rossielli Soares, executivo da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin, de Comunicação, Cleber Mata, da Saúde, José Henrique German, dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e de Logística e Transportes, João Octaviano.

(*) Com informações da ANBA

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta