Empresas brasileiras comemoram resultados da participação na feira Big 5 nos Emirados Árabes

0

Dubai – A feira de construção Big 5, realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, terminou nesta quinta-feira (20), mas promete render muitos negócios às empresas brasileiras. Oito companhias participaram da mostra no pavilhão organizado em parceria entre a Câmara de Comércio Árabe Brasileira e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Os expositores brasileiros elogiaram a localização do estande do País, que neste ano ficou no pavilhão de rochas e pedras decorativas, e a quantidade de contatos realizados. Nas últimas edições, o estande brasileiro estava em um local que recebia menos visitantes. Uma das empresas, a Ceusa, de revestimentos cerâmicos, já recebeu pedidos.

Marcos Carrieri/ANBA

Estande da Pettrus: espaço maior no ano que vem
Estande da Pettrus: espaço maior no ano que vem

 “Serão cerca de quatro contêineres de produtos em acordos fechados na feira e pelo menos outros quatro nos próximos oito meses”, disse o executivo de vendas da Ceusa, Tallal Merhi. “Eu participei desta feira entre 2001 e 2005, e era mais movimentada. No entanto, eram outros tempos, a situação do mercado era outra. Agora, após a crise, o setor está em recuperação”, afirmou. Embora tenha negociado diversos modelos de pedras, ele disse que o mercado do Golfo aprecia sempre os acabamentos com alto brilho. Pelo seu estande passaram representantes de empresas de Omã, Tailândia, Índia e Líbano, entre outros países.

CEO da Pettrus, que trabalha com rochas exóticas, Maxwell Alcântara encerra sua terceira participação na feira com perspectivas de realizar pedidos e até uma parceria na Arábia Saudita. Sua empresa extrai, processa e vende rochas raras, que são utilizadas para decoração de ambientes.

“A localização em que estamos agora é bem mais interessante. Tenho aqui em Dubai uma parceria, que foi gerada junto com a Câmara Árabe e agora eu e este parceiro estamos negociando um acordo na Arábia Saudita, para ter um espaço e vender lá”, disse. Além disso, Alcântara recebeu no estande da Pettrus visitantes de Irã, Arábia Saudita e Catar, entre outros. A primeira participação da Pettrus na Big 5 foi em 2012. Desde então, a companhia passou a exportar para a região. Neste ano, o espaço da empresa foi o maior na área brasileira. Maxwell afirmou que, se na edição do próximo ano tiver mais espaço, ele vai querer ocupar.

Marcos Carrieri/ANBA

Pado, de cadeados: contatos com muitos países
Pado, de cadeados: contatos com muitos países

As perspectivas também são boas para a Real Esquadrias, que trouxe portas de madeira para a Big 5. O gerente de exportações, Gustavo Ludwig, afirmou que fez mais de 200 contatos no evento que deverão render pedidos em breve. “Alguns estão muito bem encaminhados. Todos eles eu irei desenvolver e manter em andamento depois da feira”, disse.

Diretor comercial da Summit International, fabricante de pedras de granito, Eder Wiesling participou da mostra pela primeira vez e afirmou que a feira lhe mostrou algumas características dos compradores da região. “Eles fizeram muitas perguntas sobre a possibilidade de embarcar o produto acabado e já cortado. Estou acostumado a vender as chapas para que o cliente as corte na medida desejada”, observou. Ele também disse que a maior parte das cotações foi por pedras claras, de tons amarelados e azuis.

A fabricante de cadeados Pado participou da feira pela segunda vez. A primeira foi em 2012. Após aquela edição, a empresa passou a exportar para os Emirados com um distribuidor local. “Certamente faremos bons negócios (em consequência da feira). Nosso distribuidor está apresentando a nossa marca aqui em Dubai. Ele tem contato com os clientes locais, o que nos ajuda muito. O estande teve muito movimento e fizemos muitos contatos”, disse a gerente de Comércio Exterior, Karli Vieira. A empresa recebeu consultas de companhias do Oriente Médio, Ásia, Europa e da África.

Trader da fabricante de equipamentos elétricos Fame, Maria Prado afirmou que se surpreendeu porque tinha foco nos países da África e acabou recebendo contatos também de países do Golfo. “No total, fiz mais de 200 contatos e acho que pode render negócios. Vale a pena retornar a esta feira nos próximos anos porque ela também permite que eu apresente o meu produto, que é novo para alguns clientes da região”, disse. A Fame levou para esta feira sua linha de chuveiros elétricos.

Marcos Carrieri/ANBA

Real Esquadrias: negociações em andamento
Real Esquadrias: negociações em andamento

O diretor geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, observou que a mudança de pavilhão na edição deste ano foi positiva, pois ampliou a quantidade de visitas às empresas. “Todos os expositores ficaram satisfeitos. Já imaginávamos que a nova localização seria boa, mas mesmo assim ela nos surpreendeu. Acho que os contatos feitos aqui resultarão em pedidos em breve”, disse.

Assessor de negócios internacionais da Apex-Brasil, Rafael Gratão afirmou que a agência tinha uma previsão otimista para esta feira e esta expectativa se concretizou. “O espaço em que estamos é melhor e percebemos isso no contato com os expositores. Volto para o Brasil com um olhar otimista, com destaque para o setor de pedras, granitos e cerâmica”, disse. A Marbrasa, de mármores e granitos, e a Gail, de revestimentos cerâmicos também participaram da mostra no estande brasileiro.

Fonte: ANBA

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta