Empresas brasileiras conquistam a Europa com produtos típicos do Brasil, como açaí, pão de queijo e muitos outros

0

Rio de Janeiro – Tanto o Brasil como os brasileiros encantam a maioria dos europeus. O povo Europeu acha fascinante a alegria do povo brasileiro, a espontaneidade, a natureza da terra e os sabores naturais e especiais. Por isso temos presenciado grandes sucessos de empreendedores brasileiros pela Europa, vejamos alguns deles

Açaí

O Açaí fruto originário de um tipo de palmeira nativa da região amazônica rico em fibras, proteínas, cálcio, potássio, magnésio, vitaminas e gordura boa, conquistou a Europa. Em alguns países já se pode comprar em supermercados, lojas de produtos orgânicos, assim como existem lojas próprias para consumo direto, iguais às do brasil.

Alguns exemplos de sucesso de empresas brasileiras nesse nicho está a Açaí Concept que com menos de três anos de sua chegada na Europa por Portugal, se tornou a maior franquia do produto no mundo. Possui atualmente mais de 600 estabelecimentos entre Brasil, Europa e Estados Unidos.

Outro caso de sucesso é o da Açaí Aju que iniciou a sua jornada de internacionalização também por Portugal e ainda pode contar com o apoio dos subsídios de Portugal 2020. Seu projeto consistia em criar uma indústria de processamento de açaí com fórmula própria, envasados em potes e barras, voltados para distribuidores. O projeto da Açaí Aju recebeu 1,2 milhão de euros do Programa Portugal 2020, ou seja, quase R$ 8 milhões. 

A boa notícia é que o consumo de açaí vem aumentando na Europa a cada ano, isso significa que as empresas brasileiras que atuam nesse nicho tem uma excelente oportunidade para aumentar suas vendas e ainda poderá receber apoio do governo português através do Programa Portugal 2020/2030 para iniciar suas jornadas de Internacionalização.

Pão de queijo

A saudade no final de tarde do cheirinho do pão de queijo, sua massa crocante por fora e puxa-puxa por dentro, foi o que motivou alguns imigrantes brasileiros a iniciarem a produzir pão de queijo na Europa. 

Como exemplo nesse nicho podemos citar o casal Alexandre e Jussara Gusmão que fundaram a “Boule d’Or” nome da marca na suíça, atualmente com uma produção de mais de 500 mil pães de queijo por mês, e com planejamento para expansão por toda a Europa iniciando pela Alemanha, frança,Itália, Bélgica e Reino Unido.

Imigrantes na Suíça, o casal teve a ideia de adaptar a receita da avó mineira ao paladar dos suíços. Como a Suíça tem uma culinária bem requintada, eles usaram batata para dar leveza na massa e o tradicional queijo suíço Gruyère, e pronto sucesso garantido, os pães de queijo dos imigrantes brasileiros ganharam o paladar dos suíços. Na Suíça seus pães de queijo podem ser encontrados em 43 lojas, 7 restaurantes e alguns supermercados.

O carioca Marcos Ferreira é mais um caso de sucesso, mas além do pão de queijo, Marco também introduziu outra deliciosa guloseima brasileira, a “coxinha” na Dinamarca e Suécia. Sua produção mensal é de mais de 15 toneladas de pão de queijo em mais 4 toneladas de coxinha e empada, vendidos em mais de 400 locais 

Vale lembrar que os sucessos desses produtos que citamos acima decorrem de fabricação na Europa, pois quando a estratégia da empresa é exportar, a história muda, devido a Europa possuir barreiras sanitárias por exemplo a não permissão da importação de produtos que tenham 20% de lácteos na composição. 

A União Europeia adota o princípio da prevenção, e o Brasil não é zona declarada livre de brucelose e tuberculose, por isso exportar os produtos alimentícios do Brasil para Europa a história é um pouco diferente.

Dessa forma, a internacionalização “in loco”, ou seja, produzindo no local é muito mais assertiva. Além disso, podemos citar os benefícios de que ao ter uma empresa na Europa, essa fará parte da União Europeia e por isso também poderá usufruir de todos os benefícios dos acordos comerciais para os 28 países da União Europeia.

Nesse sentido, iniciar a internacionalização para Europa através de Portugal se mostrar ainda mais atrativo, pois para os brasileiros a similaridade dos costumes e a língua portuguesa amenizam as diferenças. 

Outro fato relevante é que Portugal possui um programa chamado Portugal 2020 e agora Portugal 2030 que disponibiliza apoios para apoiar a internacionalização de empresas desde a implantação de toda a parte produtiva da empresa, bem como a comercialização de seus produtos em todos os países do mundo, por dois anos.

Portugal vem atuando como Hub, apoiando a entrada da internacionalização para empresas brasileiras, já tendo chancelado projetos incríveis de produtos nativos brasileiros que foram uma aposta certeira, pois alcançam um crescimento exponencial na Europa e em alguns casos a demanda se torna maior que a produção, criando oportunidade para novas empresas entrarem no mercado como é o caso do Açaí e pão de queijo.

(*) Com informações da My Euro Business

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta