Empresas de cafés especiais participam de feira e conquistam espaço no mercado polonês

0

Brasília –  A Polônia desponta como o principal mercado para cafés especiais no leste da Europa, devido ao tamanho de sua população e por ser a maior economia atual da região. A constatação foi tirada após participação brasileira na EuroGastro, a mais importante feira para o setor de hotelaria, restaurantes e café (HoReCa), realizada de 6 a 8 de abril, na capital Varsóvia.

O nicho de cafés especiais do Brasil foi representado por seis empresas, que participaram do evento através de ação do projeto setorial Brazilian Specialty and Sustainable Coffees, desenvolvido por parceria firmada entre Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Conforme levantamento preliminar, os representantes do Brasil deverão realizar aproximadamente meio milhão de dólares em negócios com a participação na feira, sendo que US$ 80 mil já foram concretizados nos três dias da EuroGastro.

 “A Polônia é um mercado emergente, que vem crescendo muito em consumo. Quem estiver presente por lá agora, certamente permanecerá como fornecedor e viverá um cenário muito parecido com o observado na Austrália e na Coreia do Sul, nações que têm no Brasil seu principal fornecedor de café especial e que adquiriram, em 2015, US$ 16 milhões e US$ 15,7 milhões respectivamente”, projeta Vanusia Nogueira, diretora da BSCA e coordenadora do projeto setorial pela Associação.

Os trabalhos dos associados da BSCA na feira focaram apresentações sobre o café especial brasileiro e sessões de degustação, despertando grande interesse. “Torrefadores, baristas e donos de cafeterias esgotaram os ingressos para a participação nas apresentações brasileiras durante toda a EuroGastro, o que evidencia que as ações do projeto Brazilian Specialty and Sustainable Coffees voltados à Polônia gerarão muita agregação de valor às exportações brasileiras de cafés especiais”, afirma Vanusia.

A cultura do consumo de café na Polônia ainda incorpora elementos da antiga União Soviética, com o café solúvel predominando no varejo. Por outro lado, é nítido o desenvolvimento que o setor de cafés especiais vem apresentando.

“Há lançamento de várias linhas gourmet por parte dos principais torrefadores e proliferação de cafeterias de alto nível nas principais cidades. Esse é um nicho que temos que aproveitar, uma vez que a maioria desses estabelecimentos não faz a própria torrefação, utilizando produto de torrefadores de cafés especiais europeus, e sabemos que o Brasil tem a expertise e a oferta de produto necessárias para ocupar esse espaço”, conclui a diretora da BSCA.

Sobre o Projeto

O Brazilian Specialty and Sustainable Coffees é desenvolvido em parceria pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), tendo como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País.

O projeto visa, também, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2009, a vigência do atual projeto vai de abril de 2014 ao mesmo mês de 2016 e os mercados-alvo são Estados Unidos, Japão, Coréia do Sul, Reino Unido e Austrália. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail: exec@bsca.com.br.

 

Fonte: Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta