Equador promove Rodada de Negócios  e acena com parcerias para empresa brasileiras



Última atualização: 22 de Abril de 2015 - 10:56
0
180

 Da Redação

Brasília –  As empresas brasileiras interessadas em realizar negócios de exportação, importação e também  dispostas a estabelecer joint ventures com suas homólogas do Equador terão a  oportunidade de conhecer as as potencialidades e vantagens oferecidas pelo país vizinho nos próximos dias 3 e 4 de junho, quando será realizada na cidade de Guayaquil mais uma Rodada de Negócios promovida pelo governo equatoriano. Durante o evento, as companhias brasileiras também poderão obter informações sobre as empresas e principais produtos exportados pelo Equador.

O Escritório do Equador no Brasil (Pro Ecuador), sediado em São Paulo, está convidando as empresas brasileiras a participar da Rodada de Negócios. A expectativa é de que o evento contribua para o aumento do fluxo comercial entre os dois países e, especialmente para o aumento das exportações equatorianas para o Brasil, tornando a balança comercial bilateral mais equilibrada.

Segundo Alexis Villamar (chefe do escritório do  Pro Ecuador em São Paulo), “nossa expectativa é de que a próxima Rodada de Negócios tenha a participação de mais de 550 empresas do Equador e de outras 200 companhias estrangeiras, procurando produtos diferenciados e típicos, além de matéria-prima para sua sempresas. O foco da Rodada de Negócios são as empresas que buscam fornecedores de alta qualidade e nível internacional e também a criação de parcerias comerciais de grande retorno”.

As empresas interessadas em participar do evento em Guayaquil poderão obter mais informações  através do escritório do Pro Equador pelo email proecuador.brasil@gmail.com  e saopaulo@proecuador.gob.ec  ou ainda pelo telefone (11) 2769-1999.

Balança comercial

Na opinião de Alexis Villamar, “além dos objetivos acima citados, esperamos que os contatos a serem mantidos pelos empresários brasileiros com seus colegas equatorianos contribua para o crescimento do fluxo de comércio entre o Equador e o Brasil. E o ideal é que isso aconteça de forma a permitir que a balança comercial brasileiro-equatoriana se torne mais ampla, diversiiada e sobretudo menos desequilibrada. Também esperamos que a Rodada de Negócios ajude a mudar a tendência de queda verificada nos três primeiros meses do ano tanto em termos das exportações brasileiras quanto das vendas equatorianas”.

Historicamente, a balança comercial bilateral sempre foi favorável ao Brasil. O maior saldo positivo, no montante de US$  922 milhões, foi registrado em 2010, quando o Brasil exportou para o Equador produtos no valor total de US$ 979 milhões e importou bens equatorianos no montante de US$  57 milhões. Ano pasado, as exportações brasileiras somaram US$ 822 milhões, enquanto o Equador exportou produtos no total de US$ 143 milhões, o maior volume exportado pelos equatorianos ao Brasil em todos os tempos.

No primeiro trimestre deste ano, as exportações brasileiras registram uma queda de 8,37% e somaram US$ 178 milhões. As vendas equatorianas também tiveram queda (-3,54%) e geraram receita no total de US$ 32 milhões.

O principal destaque na pauta exportadora brasileira para o Equador no período janeiro/março foram bens que não figuraram nas exportações para o país vizinho em igual período do ano passado: em primeiro lugar aparecem automóveis, no total de US$ 13 milhões, seguidos por laminados ferro/aço, quente (exportações no valor de aproximadamente US$ 8 milhões) e trigo (US$ 6 milhões).

Pelo lado do Equador, os principais produtos exportados foram outras formas brutas de chumbo refinado (US$ 5 milhões), bombons,caramelos, confeitos e pastilhas, sem cacau (US$ 4,6 milhões), virola, imbuia, balsa (US$ 3,5 milhões), preparações e conservas, de atuns, inteiros ou em pedaços (US$ 3 milhões), outros chocolates e preparações alimentícias contendo cacau (US$ 2,7 milhões) e outras preparações e conservas de atuns (US$ 2,5 milhões).

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta