Exportação de brinquedos e artigos infantis cresceu 48,8% com apoio da ApexBrasil, alcançando a maior receita em uma década

0

Brasília – Brinquedos e artigos para bebês e crianças chamam a atenção não só dos pequenos. As exportações do setor estão em ritmo de crescimento há uma década, atraindo empresários com grandes ideias inovadoras e investidores que buscam ampliar seu espectro de empresas com potencial no mercado internacional.

De acordo com os dados do Comex Stat, até setembro de 2022 foram acumulados US$ 27,8 milhões em exportações de brinquedos, carrinhos de bebês, jogos e artigos esportivos. Em relação ao mesmo período de 2021, houve um crescimento de US$ 9,11 milhões, representando um aumento de 48,8% da receita de exportações do setor. Foi a maior receita desde 2011, que ao longo do ano acumulou US$ 24,8 milhões.

O volume também cresceu expressivamente. Em 2022, foram exportadas 4,32 mil toneladas, uma variação de 54,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. É o maior volume já exportado do período em análise, quebrando o recorde de 2,79 mil toneladas de 2021. Com base nos dados, é possível identificar que os produtos infantis vêm se revelando um importante setor da economia brasileira, e por meio do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), oferecido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), as empresas recebem o devido apoio para começarem a exportar e se tornarem competitivas no comércio exterior.

É o caso da Mercotoys, de Pomerode, Santa Catarina, que desde 1994 fabrica brinquedos de plástico com características educacionais, misturando formas, cores e movimento. O seu diferencial de produção, que conta com uma alta rotatividade de produtos ao longo do ano, posiciona a empresa como uma das líderes em sua área. Participou do PEIEX em 2018, no núcleo operacional de Itajaí e, desde então, exporta diversos produtos de todas as suas linhas para países latino-americanos.

Segundo o gerente de compras Michel Lauriola, o Programa os auxiliou a estabelecer preços de venda em dólar de forma mais exata, a prospectar mercados e a desenvolver material de divulgação direcionados aos mercados-alvo. De acordo com ele, a empresa aumentou suas exportações nos últimos dois anos graças aos conhecimentos adquiridos durante as etapas do PEIEX, além de rodadas de negócios promovidas pela ApexBrasil.

No seu catálogo constam mercadorias dos mais variados tipos, que vão desde carrinhos de bonecas, andadores e puxadores, até brinquedos para a praia, lúdicos e educativos com blocos de formas, números e letras. A Mercotoys é associada à Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) e também já participou de cursos de comércio exterior junto ao SEBRAE. Já bem estabelecida na América Latina, hoje a empresa busca ampliar seu mercado e mira em países norte-americanos e europeus.

Assim como a Mercotoys, a Pedra e Cor é uma das empresas que recentemente foi qualificada pelo PEIEX para iniciar suas exportações. Vinculada à M3 Indústrias, a empresa originária do Rio Grande do Sul e com fábricas situadas em Santa Catarina, está no mercado há 20 anos, produzindo pedras e areias decorativas. Com reconhecimento nacional pelos produtos que proporcionam uma experiência sensorial aos clientes, a Pedra e Cor começará a exportar um novo produto voltado para o público infantil: a tinta de areia, chamada “Decoreco”.

Após a finalização do último ciclo do Programa em 2021, a empresa se qualificou para exportar sua novidade. Trata-se de uma tinta feita a partir de um minério especial que adere completamente a uma superfície adesiva própria. O produto é obtido através de um processo simples e atóxico, que não envolve cola, resina, solventes ou tinta. Devido a essa característica, já foi certificada pela INMETRO para comercializar no Brasil e suas vendas iniciaram há pouco mais de duas semanas. No entanto, o mercado internacional – em especial os Estados Unidos e a Argentina, onde o produto se mostrou com maior aderência – já está sendo visado, como explica o sócio da M3 Indústrias, Ronis André Pinto. No momento, estão realizando prospecções comerciais para encontrar seu par perfeito. Onde houver adesão, a empresa irá se estabelecer.

“Temos muita expectativa de exportação desse produto tanto para o segmento infantil quanto para coleções de temas de conhecimento, como, por exemplo, as bandeiras dos países. Vemos como uma oportunidade mandar as bandeiras de cada país para que as pessoas possam pintar as suas próprias bandeiras. Pode ser utilizado em salas de aula, por exemplo. É um novo uso lúdico para areias decorativas, em que as crianças podem criar obras de arte utilizando areia”, explicou André.

A oportunidade de exportação do produto surgiu a partir do atendimento realizado pelo PEIEX. A princípio, a ideia era exportar os aromatizantes, carro-chefe da empresa, mas quando apresentaram o projeto da tinta de areia aos técnicos do núcleo, decidiram que este seria o primeiro produto a ser exportado.

 

Núcleo de Itajaí 

As duas empresas participaram do núcleo operacional de Itajaí. É um núcleo com forte atuação por estar presente em uma região que abriga dois dos principais portos do Brasil: Porto de Rio Grande e Itajaí. É, portanto, uma região relevante quando o assunto é internacionalização. Por conta disso, o nível das empresas e do próprio núcleo é elevado.

Segundo o analista da coordenação de Qualificação da ApexBrasil, Ulisses Medeiros, o ciclo de 2021 foi o segundo do convênio com a Universidade do Vale do Itajaí (Univali). Neste convênio, um dos técnicos foi premiado pela Agência por entregar um dos melhores planos de exportação do Brasil. Além disso, o resultado do primeiro convênio, em 2018, se mostrou bastante positivo: mais de 50% das empresas participantes conseguiram exportar ou aumentaram as exportações, como a Mercotoys.

“O PEIEX é a principal ação da ApexBrasil de preparação de empresas iniciantes ou empresas não exportadoras para o processo de exportação. É uma qualificação individual que as empresas têm à disposição para conhecerem todo o processo e se tornarem aptas para exportar”, explicou Medeiros. Atualmente, são mais de 30 núcleos ativos pelo país, que atendem, executam e implementam em cada local a metodologia própria da Agência junto com a instituição conveniada.

(*) Com informações da ApexBrasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta