Exportação e importação de bens de maior valor agregado vão ao fundo do poço na 1ª. semana de junho

0
790

Última atualização:

Da Redação (*)

Brasília – Os dados da balança comercial na primeira semana de junho divulgados hoje (8) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia chamam a atenção para uma forte retração nas exportações e importações de bens da indústria de transformação, exatamente os itens de maior valor agregado e que são fundamentais para atestar o grau de avanço tecnológico de uma economia e também para a modernização do parque industrial de um país.

No caso das exportações, a queda envolveu os embarques de carnes de aves a aviões, integrantes de uma relação de produtos importantes, todos eles com quedas exponenciais. Entre outros merecem destaque: carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas (-43,9%); aeronaves e outros equipamentos, incluindo suas partes (-91,5%); ferro-gusa, spiegel, ferro-esponja, grânulos e pó de ferro ou aço e ferro-ligas (-52,2%); motores e máquinas não elétricos, e suas partes –  exceto motores de pistão e geradores (-84,3%) e instalações e equipamentos de engenharia civil e construtores, e suas partes (-52,6%).

Igualmente importante foi a retração nas exportações de produtos da produtos da Indústria Extrativista: Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (-75,6%); Minério de ferro e seus concentrados (-14,1%); Outros minérios e concentrados dos metais de base (-41,5% ); Pedra, areia e cascalho (-46,1%) e Minérios de alumínio e seus concentrados (-21,4%).

Em relação às importações, as quedas foram igualmente expressivas e também envolveram um amplo espectro de produtos. Os principais destaques entre os itens da Indústria de Transformação que tiveram suas importações  afetadas figuram: Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (-61,7%); Partes e acessórios dos veículos automotivos (-58,6%); Adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (-25,0%); Veículos automóveis para transporte de mercadorias e usos especiais (-76,1%) e Veículos automóveis de passageiros (-68,7%).

E a exemplo do que aconteceu com as exportações, também foi apurada uma forte redução nas importações de produtos da Indústria Extrativista. Nesse segmento, a forte queda nas compras externas envolveu entre outros bens Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (-9,2%); Outros minérios e concentrados dos metais de base (-88,2%); Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (-10,2%) e Outros minerais em bruto (-24,8%).

 (*) Com informações da Secex/Ministério da Economia

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta