Exportação ilegal: Receita e Polícia Federal atuam no combate ao contrabando de ouro e pedras preciosas

0

Brasília – As investigações indicam a existência de um sofisticado esquema fraudulento que envolve o garimpo ilegal de ouro, sua exportação com o uso de “mulas” que portavam o metal até a Europa, uso de documentação falsa para legalizá-lo no exterior, posterior remessa para a Ásia para a confecção de joias e retorno desse material ao Brasil, também utilizando-se de pessoas físicas que omitiam o porte de tais objetos e valores às autoridades aduaneiras.

O nome da operação faz referência à expressão “ruta de oro”, tendo em vista que parte do ouro exportado ilegalmente foi regularizado fraudulentamente na Europa com o uso de documentos falsos supostamente paraguaios, o número 79 faz referência à posição do elemento químico ouro na tabela periódica.

Apuram-se a suposta prática de crimes como: lavagem de dinheiro cometida por organização criminosa no exterior, contrabando, descaminho, receptação e sonegação fiscal e usurpação de bens da União. Estima-se que fora evadida aproximadamente uma tonelada de ouro extraída de garimpos clandestinos.

São cumpridos 4 mandados de prisão preventiva e 21 mandados de busca e apreensão, sendo 10 em pessoas jurídicas e 11 em pessoas físicas.

A Receita Federal enviou equipes para acompanhamento do cumprimento dos mandados às pessoas jurídicas que teriam relação com as irregularidades.

As ações ocorrem simultaneamente nos municípios de São Paulo, Mirassol, Piracicaba, São José do Rio Preto, Angra dos Reis e Belo Horizonte, abrangendo os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

(*) Com informações da Receita Federal

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta