Exportações de veículos não param de cair e em janeiro embarques tiveram retração de 20%



Última atualização: 6 de Fevereiro de 2020 - 14:46
0
357

Redação (*)

Brasília –  Após amargar resultados decepcionantes em 2019, as exportações de veículos devem ter um desempenho  ainda pior em 2020, com queda ainda mais acentuada das vendas externas de veículos. Na comparação com janeiro do ano passado, janeiro deste ano apresentou uma forte queda de 20%, com apenas 20 mil  unidades comercializadas no mercado externo. Em relação a dezembro de 2019, quando foram embarcadas 29,0 mil unidades, a retração foi ainda maior, da ordem de 30,9%.

Ao divulgar o balanço da indústria automobilística em janeiro,  o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Carlos Moraes, afirmou que “estamos passando por crise na Argentina, mudou o cenário. Nós temos um novo governo lá que está começando a tomar as medidas. A tendência  é voltar a crescer, mas ainda é muito cedo para dizer quando isso vai acontecer e qual o tamanho desse crescimento”, afirmou o presidente da Anfavea.

Moraes lembrou que as exportações são muito importantes para o setor e disse que, por isso, o tema preocupa. A Anfavea prevê queda este ano no setor, com números até piores do que os do ano passado, quando foram exportados 428 mil unidades. A previsão para este ano é de 380 mil. “Precisamos ter mais exportação e precisamos resolver saldo credor de ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços], resíduos tributários, reforma tributária, e se não atacarmos mais rápido esse tema, teremos mais dificuldades. E isso não é só um problema do setor automotivo”, afirmou o presidente da Anfavea.

No plano doméstico, a venda de veículos  em  janeiro teve uma queda bem  menor, de 3,2% deste ano na comparação com janeiro do ano passado, passando de 199,8 mil unidades para 193,5 mil. Na comparação com dezembro, quando foram vendidos 262,6 mil veículos, também houve queda (26,3%). Os dados foram divulgados hoje (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, essa queda é normal para o período, no qual as vendas competem com as férias escolares, sendo um momento em que muitos consumidores viajam. “[O resultado] também foi afetado pelo novo sistema de placas, principalmente em São Paulo.”

O balanço mensal da Anfavea mostrou ainda que a produção brasileira de veículos também caiu (3,9%), na comparação de janeiro a janeiro. Neste ano foram produzidas 191,4 mil unidades e, em janeiro do ano passado, foram 199,1 mil. Já na comparação com dezembro houve aumento da produção (12,2%). “Algumas fábricas tiveram uma semana de férias coletivas, outras deram duas semanas, o que é normal, mas os números estão em linha com o que estamos imaginando, disse Moraes.

Ele acrescentou que as projeções para 2020 são as de mais de 3 milhões de veículos emplacados, com a produção crescendo 7,3%.

(Com informações da Anfavea).

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta