FCC fortalece segmento exportador apostando em produtos inovadores e de alta performance

0
442

Última atualização:

Campo Bom (RS) – Utilizar a tecnologia na busca por produtos inovadores e de alta performance, com potencial de exportação para mercados em diferentes continentes é uma das metas da FCC. Desde 2016, a indústria de Campo Bom/RS investiu mais de R$ 32 milhões em pesquisa, desenvolvimento e inovação de produtos que suprem as necessidades do setor coureiro-calçadista e de outros setores. Em 2017 o faturamento da empresa chegou a R$ 320 milhões, sendo que 30% dele veio de produtos criados nos dois últimos anos.

FCC fortalece segmento exportador apostando em produtos inovadores e de alta performance
Marcelo Garcia, Diretor Comercial da FCC

 “A nossa rentabilidade está vindo de produtos inovadores. Por isso, criamos um grupo de pessoas voltadas à Gestão da Inovação – com alta capacidade técnica e comercial, para entender a necessidade do mercado e criar produtos quase que personalizados”, ressalta Marcelo Garcia, Diretor Comercial.

Os investimentos em inovação e capital humano também contribuíram para que em 2017 a empresa expandisse no cenário de exportações, com uma receita total de US$ 20 milhões, o que representa um crescimento de 22% em relação a 2016. “Tivemos um crescimento muito rápido e sólido no mercado de exportação, principalmente quando consideramos que há seis anos nossa renda proveniente dele era inexpressiva. A receptividade dos nossos produtos no mercado estrangeiro foi muito rápida, pois é mais fácil trabalhar com um produto inovador e conseguir introduzi-lo em diferentes culturas”, destaca Garcia.

Embora a o investimento em exportação tenha surgido na FCC para atender uma demanda do setor coureiro-calçadista, atualmente a empresa já incorporou outros setores neste projeto. “A exportação no setor calçadista nos abriu portas. Hoje em dia exportamos em outros segmentos, como o de construção civil, por exemplo”, explica o diretor comercial. Para o CEO da FCC, Carlos Bremer, a empresa está preparada para aumentar ainda mais a sua participação nas exportações.

“O nosso crescimento gradual no segmento exportador tem a ver com a fidelização dos clientes e temos potencial para ampliá-lo. Além do benefício nos negócios, a exportação é um canal de aprendizado que nos permite conviver em diferentes mercados e culturas, compreendendo novas necessidades e conhecendo tecnologias”, destaca Bremer.

Atualmente, a empresa exporta para países, como: República Dominicana, Peru, Nicarágua, Colômbia, Bolívia, Equador, Chile, Argentina e Uruguai, sendo que os principais produtos exportados são elastômeros termoplásticos, adesivos e argamassa polimérica, todos de marca própria. Garcia ainda destaca o posicionamento da FCC no mercado de exportações em relação às marcas concorrentes.

“Não somos líderes em um segmento isolado, mas entre os concorrentes somos a empresa que mais exporta – considerando um conjunto total, não individualizando as tecnologias. Atualmente, a FCC é a empresa mais estruturada para exportação entre os concorrentes e a que mais exporta em volume financeiro”, pontua.

46º Prêmio Exportação RS

 Como resultado desta cultura exportadora, a FCC foi premiada na categoria “Destaque setorial – Químico” do Prêmio Exportação RS, que há 46 anos reconhece os líderes no segmento exportador gaúcho. A premiação é concedida por 18 entidades ligadas ao cenário exportador do RS, premiando empresas nas categorias quantitativa e qualitativa. A FCC foi contemplada nesta última categoria, definida a partir das indicações das entidades representadas no Conselho do Prêmio Exportação RS.

 “Para nós da FCC, receber um prêmio com esta credibilidade é um reconhecimento de todo um trabalho que estamos realizando nos últimos anos na área de exportação. É um dos prêmios regionais mais importantes, que nos traz prestígio e visibilidade a nível nacional”, comemora Garcia.

(*) Com informações da FCC

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta