Feira de Investimento e Comércio da China oferece oportunidades de negócios em meio à pandemia

0
549

Xiamen – Ao participar da Feira Internacional de Investimento e Comércio da China 2020 (CIFIT) na cidade costeira chinesa de Xiamen, John Paul Inigo estava ocupado vendendo uma história de sucesso.

Durante a feira de quatro dias, o representante  comercial do Centro de Comércio e Investimento das Filipinas ocupou-se com a promoção do “Make It Happen In The Philippines”, uma nova marca de investimento, lançada na feira pelo Departamento de Comércio e Indústria do governo filipino. A marca será usada no futuro como uma identidade corporativa para as Filipinas atrair investimento estrangeiro direto.

“A CIFIT é onde todos os investidores estão, e Xiamen é uma cidade importante na construção do Cinturão e Rota“, disse John Paul Inigo, explicando a decisão de escolher a ocasião para lançar a marca.

Como um dos primeiros grandes eventos econômicos e comerciais internacionais realizados pela China desde a pandemia da COVID-19, a CIFIT 2020, que aconteceu de terça a sexta-feira, atraiu 1.018 grupos empresariais em busca de oportunidades de cooperação e investimento.

Mais de 800 bilhões de yuans (cerca de US$ 117 bilhões) de investimentos foram assinados durante a feira.

Com o coronavírus atingindo a economia e o comércio global, a feira ofereceu uma rara chance para as empresas globais buscarem novas oportunidades de negócios. A área de exposição “Investimento no Exterior”, com 2 mil metros quadrados, teve vários estandes de agências governamentais e empresas estrangeiras esperando conquistar novos investimentos ou negócios.

Como País de Honra Convidado deste ano, as Filipinas tinham um pavilhão nacional de 400 metros quadrados. Com algumas empresas filipinas incapazes de vir ao local devido à pandemia, os visitantes poderiam escanear os códigos QR no pavilhão para saber mais sobre os projetos e produtos, ou entrar nas salas de negociação e conversar com as pessoas nas Filipinas diretamente via videoconferência.

“Estamos ansiosos para compartilhar nossa história ‘Make It Happen’ e fazer parceria com os investidores mundiais no CIFIT 2020 e além”, disse Ramon Lopez, Secretário do Departamento de Comércio e Indústria das Filipinas, por videoconferência em um fórum realizado durante a feira.

Rudi Delport, gerente de vendas sul-africano, trouxe o vinho KWV do país para a CIFIT. A marca montou sua organização de vendas e branding na China em novembro de 2019. No entanto, como o vírus deu um duro golpe na indústria de catering, sua campanha de marketing desacelerou.

“Nós ainda temos confiança no mercado chinês. Caso contrário, não viríamos”, disse ele. Com o vírus efetivamente sob controle na China, Delport disse que suas vendas estão agora se recuperando. Ele teve conversas com potenciais compradores e também teve a oportunidade de apresentar a marca a expositores de outros países na feira.

Para a romena Iulia Cristina Ixari, CEO de uma empresa de eletrônicos sediada em Shenzhen, a feira ofereceu um panorama das fronteiras do setor.

Com foco em temas como novas infraestruturas, economia digital e inovação em tecnologia científica, a CIFIT 2020 apresentou uma série de novas tecnologias e produtos e realizou vários fóruns relevantes.

Trazendo para a feira dispositivos inteligentes como impressoras 3D e robôs de varredura, Ixari também se inteirou dos produtos de ponta de seus concorrentes chineses.

“O mercado chinês é muito competitivo, mas estou aqui há 12 anos, e acho que gosto disso”, disse ela, acrescentando que a feira também a fez sentir como se “a vida que conhecemos estivesse de volta”.

A pandemia exerceu um impacto adverso sobre o comércio global, mas também obrigou as empresas a buscar novas oportunidades e entrar na era digital em meio à crise, disse Aitor Mate, conselheiro econômico e comercial do Consulado Geral da Espanha em Guangzhou, expressando a esperança de que a China e a Espanha possam fortalecer a cooperação em novas áreas, como a fabricação de robôs, inteligência artificial e tecnologia da Internet.

“A pandemia apenas trouxe inconvenientes para a mobilidade das pessoas, mas a economia e o comércio internacionais não podem ser interrompidos”, disse John Paul Inigo. “A CIFIT abre mais portas para nós. É por isso que estamos aqui.”

(*) Com informações da Xinhua

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta