Indústria automobilística tem o pior abril da história e exportações de veículos desabam 79,3%

0
588

Última atualização:

Da Redação (*)

Brasília – A indústria automobilística brasileira teve em abril  o pior desempenho da história em termos de produção, que registrou uma queda recorde de 99,3% no mês e uma queda igualmente arrasadora das exportações, que recuaram 79,3% em abril, comparativamente com o mesmo mês do ano passado.

De acordo com o balanço mensal divulgado nesta sexta-feira (8) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), em unidades, a exportação de veículos caiu 73,9%, comparadas com abril do ano passado. Em comparação a março, houve queda de 76,6%. Foram 7,2 mil unidades vendidas ao exterior, em conta que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Segundo a Anfavea, no acumulado de janeiro a abril, foram 96,2 mil veículos exportados, tombo de 31% em relação a igual período do ano passado.

Em valores, as exportações atingiram US$ 252,7 milhões em abril, queda de 69,7% em relação a igual mês do ano passado e de 64,4% na comparação com março. No acumulado do ano, são US$ 2,176 bilhões em receita com vendas ao exterior, baixa de 33,5% em relação a igual período de 2019.

Enquanto as exportações registravam uma contração tão expressiva, no tocante à produção, o tombo foi ainda muito maior.No mês em que praticamente todas as montadoras suspenderam as atividades em razão da pandemia do novo coronavírus, a produção de veículos caiu 99,3% em abril ante igual mês do ano passado.Em comparação a março, houve queda de 99%.

No mês de abril, as fábricas produziram 1,8 mil unidades, o menor resultado para um mês desde o início da série histórica da Anfavea, em 1957. “Nem mesmo em períodos de greve, nunca enfrentamos um nível de produção tão baixo no País”, disse o presidente da associação, Luiz Carlos Moraes, em coletiva de imprensa online.

De janeiro a abril, a indústria automobilística registrou uma produção de 587,7 mil veículos, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O resultado representa tombo de 39,1% na comparação com o primeiro quadrimestre do ano passado.

A venda de veículos novos, por sua vez, atingiu 55,7 mil unidades, queda de 76% em relação a abril do ano passado e de 65,9% na comparação com abril. No acumulado do ano, foram 613,8 mil emplacamentos, recuo de 26,9% ante igual período do ano passado.

Segundo a Anfavea, os pátios das fábricas e das concessionárias contava, no fim de abril, com 237,3 mil veículos em estoque, abaixo dos 266,6 mil veículos no fim de março. Considerando o ritmo de vendas em abril, o número mais recente do estoque é suficiente para 128 dias, ou um pouco mais de quatro meses.

Em valores, as exportações atingiram US$ 252,7 milhões em abril, queda de 69,7% em relação a igual mês do ano passado e de 64,4% na comparação com março. No acumulado do ano, são US$ 2,176 bilhões em receita com vendas ao exterior, baixa de 33,5% em relação a igual período de 2019.

(*) Com informações de Agência

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta