Indústria brasileira quer exportar mel aos países árabes e usará certificado halal para conquistar mercados

0

São Paulo – A brasileira Baldoni, indústria de produtos como mel, própolis e geleias, está se planejando para abrir mercado nos países árabes. Para isso, a empresa já obteve certificação halal para seu principal produto, o mel. O halal garante que um produto seja produzido seguindo os preceitos islâmicos e, por isso, seja permitido para consumo de muçulmanos. O certificado foi fornecido à empresa foi a SIILHalal, certificadora baseada em Chapecó, Santa Catarina.

Com 38 anos de atuação no setor, a Baldoni exporta há quatro anos e já tem clientes em países como China, Hong Kong e Singapura. “Na Europa, estamos desenvolvendo pontos de distribuição. Estamos expandindo e nosso foco para 2022 é trabalhar com o mercado árabe, por isso fomos atrás da certificação halal”, disse a chefe de vendas institucionais, exportação e e-commerce da Baldoni, Cecília Solano.

O foco da empresa na exportação é a linha de mel orgânico / Divulgação

Se no início a marca era pequena e se restringia ao interior do País, hoje a aposta é no desenvolvimento de novos produtos. “A Baldoni se profissionalizou, trabalhamos com inovação desde a embalagem. A marca vem se aperfeiçoando e expandindo para ter um portfólio diferente. Lançamos agora o próprion defense, um suplemento de própolis. Também temos chocolate recheado com a geleia, que é 70% fruta, 30% mel. Nosso foco é inovar, nutrir e cuidar”, destacou Solano.

Com fábrica em Campinas e escritório na capital paulista, a marca tem colmeias em fazendas espalhadas pelo interior de São Paulo e na região Nordeste. Rumo ao Oriente Médio, a executiva já tem algumas estratégias em mente. “Queremos entrar nos Emirados e temos prospecção na Arábia Saudita. Mas, claro, estamos abertos a todos os países árabes, e mesmo dentro do Brasil podemos levar o produto com certificação para o público muçulmano”, afirmou.

Na linha halal estão produtos como a bisnaga de Mel Baldoni Orgânico / Divulgação

O mel por si só é um produto natural, mas para receber o certificado, foram necessários ajustes na unidade fabril. “Quem cuidou disso foi pessoal de qualidade. Um exemplo de pequenos ajustes é que usamos graxa para fazer as engrenagens funcionarem na fábrica e algumas não eram halal. É [uma certificação] exigente e é bom que seja. O que eu vi nos três dias do fórum Global Halal Brazil é a questão da confiabilidade. E ter confiança no produto envolve fazer direito, de maneira que atenda a necessidade do cliente mais exigente”, defendeu a executiva. O fórum foi o primeiro do País focado em halal e ocorreu entre os dias 06 e 08 de dezembro.

Além da linha de mel, a marca está em processo para certificar a própolis e espera, no futuro, certificar também as linhas de geleias e chocolates. A certificação que a indústria adquiriu diz respeito ao mel como alimento, mas Solano explica que o produto e seus derivados também costumam ser vendidos em farmácias, por suas propriedades que têm benefícios à saúde.

Nas fazendas, a Baldoni produz 1 mil toneladas de mel e, segundo Solano, a empresa cresceu 10 vezes nos últimos quatro anos. Com a abertura de novos mercados, a marca espera triplicar sua receita. Segundo Solano, “o objetivo seria expandir no mercado internacional através de distribuidores de varejo, food service e Farma [setor de fármacos]”.

(*) Com informações da ANBA

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta