Irã: Banco BS2 apresenta a empresas associadas à Abimo soluções para recebimentos de vendas ao país

0
597

Última atualização:

São Paulo – O Irã possui um enorme potencial de mercado a ser explorado pelas empresas de equipamentos médico-hospitalar e odontológicos. Além disso, o país tem grande interesse em ampliar suas relações econômicas com a América Latina, especialmente com o Brasil, e tem demonstrado receptividade aos produtos brasileiros.

Com o fortalecimento das relações entre Brasil e Irã, o comércio bilateral está crescendo, mas ainda há grande possibilidade de aumento das vendas para o segmento médico-hospitalar e odontológico, mas que até então vinha sendo prejudicado em decorrência das limitações para recebimento de vendas feitas para o país.

Com o intuito de auxiliar as empresas associadas na venda de seus produtos para o exterior, o Brazilian Health Devices, projeto setorial realizado entre a Abimo e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) realizou no dia 10 de março em sua sede administrativa uma reunião com participação de representantes do banco BS2.

Gustavo Pieratti, representante da área de câmbio do banco BS2 apresentou as novas soluções do banco que permitem o recebimento direto de vendas feitas para o Irã.

“Vim a convite da Aimo para demonstrar como o banco está preparado para receber pagamentos diretos das exportações brasileiras para o Irã. Além da nossa experiência com empresas de outros setores já atuando nessa função, em negociações bem-sucedidas, o que buscamos com essa apresentação foi desmistificar esse processo, que hoje já é possível, e mostrar o quanto este canal está aberto para facilitar as vendas e recebimento do dinheiro referente às exportações”, afirma Pieratti.

Mercado

Nessa reunião na Abimo, a proposta principal foi apresentar perspectivas facilitadoras do processo comercial bilateral entre Brasil-Irã em um ponto de total relevância para os negócios, a garantia de recebimento, como explica o Coordenador de Acesso a Mercados, Rafael Cavalcante. “A proposta dessa apresentação foi primordialmente atuar em nossa missão de facilitadores de negócios para as empresas associadas, expondo esse novo canal que está disponível de transações financeiras diretas para o Irã”, diz.

Ele também explica que, embora o Brasil não faça parte de nenhuma sanção aplicada contra o Irã, muitos bancos brasileiros sempre tiveram receio de operar nessas transações, projetando possíveis represálias futuras, dado que, dentre outras medidas, o governo dos Estados Unidos  anunciou em setembro de 2019 a aplicação de sanções contra o Banco Central iraniano, o Fundo Nacional de Desenvolvimento do Irã e empresas baseadas no país asiático.

Essas limitações se tornaram grandes dificuldades no sistema bancário brasileiro, e limitavam sensivelmente as condições das empresas de exportar para o Irã, fazendo-as recorrer a operações financeiras mais custosas e complexas por países da Europa ou Emirados Árabes Unidos.

Durante a apresentação o banco pôde demonstrar suas soluções e expertises atuando nesses processos. Os representantes do banco BS2 tiveram ainda a oportunidade de tirar dúvidas das empresas associadas em relação a procedimentos, prazos para recebimento e outros tópicos relacionados.

(*) Com informações da Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta