Mapa promove Programa de Imersão no Agronegócio Brasileiro para diplomatas estrangeiros

0

Brasília  – A Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SRI/Mapa) realiza a 6ª edição do Programa de Imersão no Agronegócio Brasileiro, destinado a diplomatas estrangeiros no Brasil. O programa, voltado para a fruticultura brasileira, teve início nesta terça-feira (11) e vai até sexta-feira (14), nas cidades de Petrolina (PE), Casa Nova (BA) e Icapuí (CE). Os países representados nessa edição são África do Sul, Alemanha, China, Cingapura, Filipinas, México e Tailândia.

O objetivo é divulgar a excelência do agronegócio brasileiro, incluindo boas práticas produtivas, manejo sustentável da agroindústria e controle fitossanitário, além de estreitar a relação do ministério com representantes das delegações estrangeiras.

 “Essa é uma das experiências mais importantes para a SRI. Com esse programa, pretendemos mostrar um pouco da nossa cultura e da importância da nossa agricultura”, comentou a diretora do Departamento de Promoção Internacional do Agronegócio, Telma Gondo.

Segundo a diretora, durante o programa os diplomatas visitarão fazendas produtoras de diversas variedades de frutas e aprenderão sobre o uso de tecnologias em diversas culturas. “Não importa o quão pequena é a área de cultivo no Brasil, ela utiliza tecnologias, muitas ligadas à irrigação, que impulsionam nossa economia e também geram emprego. E isso é o que veremos durante a viagem”, disse.

Para o embaixador da Tailândia, Pitchayaphant Charnbhumidol, o maior interesse está em conhecer as tecnologias brasileiras. “Esses tipos de ferramentas são muito eficazes para o desenvolvimento da agricultura. A Tailândia é um país importante na agricultura mundial e é muito útil para o país aprender mais sobre isso, para o meu próprio benefício e o do meu país”, afirmou.

Produção e exportação

De acordo com o secretário-substituto da SRI, Lino Colsera, mesmo com números expressivos de produção de frutas, o Brasil ainda não tem uma participação grande no mercado internacional. “É importante mencionar também que, quando as autoridades brasileiras falam sobre o potencial agrícola, a mensagem também se refere às condições que o Brasil tem de aumentar a sua capacidade de produção e de exportação de frutas, como foi feito em outros setores”, afirmou. “A produção é variada e, devido à tecnologia e à produtividade, o produto brasileiro pode ser vendido a um preço competitivo”, finalizou.

A produção de frutas da safra 2013/14 foi de 43 milhões de toneladas. De janeiro a outubro de 2014, o Brasil exportou US$ 632 milhões em frutas, incluindo castanhas e nozes.

Fonte: Mapa

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta