Micam Milano deve gerar U$ 42,64 milhões para calçadistas brasileiros



Última atualização: 18 de Setembro de 2019 - 16:50
0
800

Novo Hamburgo (RS) – Entre os dias 15 e 18 de setembro aconteceu a 88ª edição da Micam Milano, maior feira de calçados do mundo. Com recorde de participação de marcas brasileiras, 76 no total, o evento deve gerar US$ 42,64 milhões em negócios efetivados e alinhavados no local. A presença das empresas nacionais foi viabilizada pelo Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

A coordenadora de Promoção Comercial e de Relacionamento da Abicalçados, Letícia Sperb Masselli, destacou o crescimento de 14% nos valores gerados in loco em relação ao mesmo igual período de 2018. Nesta edição, foram comercializados 748 mil pares de calçados, com estimativa de venda de mais 2 milhões nos próximos meses. Em negócios, a mostra efetivou US$ 14,56 milhões e a expectativa é somar mais US$ 28,08 milhões a esse valor.

 “O grande diferencial da Micam é seu perfil global. Nela, encontramos compradores de todos os continentes, o que proporciona a promoção de nossas marcas e ótimos negócios, evidenciados pelos números”, afirmou Letícia. Sobre o número de empresas participantes, a coordenadora comemorou: “As empresas brasileiras buscam a internacionalização e para o Brazilian Footwear é um orgulho poder possibilitar uma participação tão expressiva do Brasil no exterior”.

Décadas de sucesso

A edição que apresentou as coleções de Primavera/Verão 2020 comemorou os 50 anos da feira.

Atualmente, a Micam acontece duas vezes ao ano (fevereiro e setembro), em um espaço dividido em sete pavilhões que totalizam cerca de 60 mil metros quadrados, e recebe expositores de mais de 30 países diferentes. Entre as delegações, o Brasil tem grande peso, correspondendo ao terceiro país (fora a Itália) no número de empresas participantes. Em termos de visitação, a feira também alcança sucesso, recebendo aproximadamente 45 mil visitantes de mais de 130 nacionalidades.

O porte e a organização da mostra surpreenderam o gerente comercial da Mariotta, Marcus Mott. Ele nunca havia estado na Micam e esta foi a primeira edição em que a empresa participou. “A feira é muito grande, com muitas marcas de diferentes lugares. Estar aqui é importante para nos posicionarmos no mercado internacional”, analisou Mott. Os resultados também alegraram a companhia, que considerou positiva a experiência.

“Fizemos muitos novos contatos, a maioria em mercados que ainda não atuamos. Agora, o importante é mantermos a constância, estando presentes nos próximos semestres, até que o nome da empresa comece a se solidificar entre os compradores”, avaliou.

Para a gerente de exportação da Luz da Lua, Carolina Costa, os resultados do evento também foram muito positivos. “Todos os dias de feira foram movimentados em nosso estande. No primeiro dia, recebemos principalmente os clientes que já compram da empresa, que havíamos agendado previamente, e nos outros dias atendemos majoritariamente novos clientes. Até o último dia, que geralmente é mais fraco, foi muito bom para nós”, comemorou.

Segundo Carolina, foi possível notar uma mudança no perfil dos compradores em relação às últimas edições. “Recebemos visitas de clientes maiores, com várias lojas, e interessados na marca, e não na produção terceirizada. Muitos novos contatos da Itália, dos Estados Unidos e do Oriente Médio”, destacou.

Durante o 50º aniversário da Micam, a Democrata, uma das primeiras empresas brasileiras a expor na feira, relembrou seu histórico de participação. Segundo o gerente de exportação, Anderson Melo, que acompanha a mostra há cerca de 15 anos, o evento é uma importante vitrine para a marca no exterior.

“É uma feira completa, que possibilita a manutenção de clientes, a abertura de novos mercados e a promoção da imagem da Democrata”, avaliou. Ele recordou que o entendimento sobre a feira veio com a experiência: “As primeiras edições são de muito aprendizado. Hoje, sabemos o que esperar e como fazer o trabalho já desenvolvido no Brasil ser estendido aos outros países”.

Sobre a última edição da feira, Melo afirmou estar satisfeito com os resultados. “Esta edição foi muito melhor que a do mesmo período no ano passado, na nossa avaliação. Crescemos em volume, atendemos bons clientes e criamos novas possibilidades de mercados na Ásia e na Europa”, concluiu, ressaltando a relevância da feira para a expansão da marca.

Apresentando as coleções de Outono/Inverno, a próxima edição da Micam Milano acontece entre os dias 16 a 19 de fevereiro de 2020.

(*)  Com informações da Abicalçados

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta