Ministro Miguel Jorge faz palestra na Câmara Árabe em SP

0
209

Última atualização:

Fonte: ANBA

São Paulo – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, estará na sede da Câmara de Comércio Árabe Brasileira nesta segunda-feira (22), em São Paulo, para participar de um seminário preparatório para a missão empresarial brasileira ao Egito, Líbano e Irã, que será realizada de 11 a 17 de abril de 2010.

Essa é a primeira vez que a Câmara Árabe promove um seminário antes de uma missão. O objetivo do encontro é mostrar a potencialidade de negócios com o mercado árabe e as maneiras peculiares de negociação com a região. Haverá espaço para perguntas e respostas com o intenção de esclarecer todas as dúvidas dos empresários.

A abertura do seminário será realizada pelo presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Salim Schahin. Em seguida o ministro Miguel Jorge fará um breve histórico sobre as missões comerciais que o seu Ministério vem promovendo nos últimos dois anos, destacando a importância para o comércio exterior brasileiro. O ministro também deve divulgar o número de empresas participantes das missões e as exportações geradas.

Em 2009, as exportações do Brasil ao Egito, um dos países da missão, cresceram 2,51%, passando de US$ 1,41 bilhão registrados em 2008, para US$ 1,45 bilhão no ano passado. Os principais produtos brasileiros embarcados para o Egito foram minério, escórias e cinzas (subprodutos do minério), carnes, açúcar, aeronaves e produtos químicos inorgânicos.

Já as exportações para o Líbano registraram crescimento de 13,43% – saindo de US$ 273,85 milhões em 2008, para US$ 310,64 milhões em 2009. Carnes, animais vivos, café, chá mate e especiarias, ferro fundido, aço e combustíveis minerais foram os produtos mais exportados para os libaneses.

O embaixador do Egito no Brasil, Ahmed Hassan Ibrahim Darwish, um representante da Embaixada do Líbano no Brasil, entre outras autoridades, participam da abertura do seminário. A primeira palestra – Contexto Político e Econômico – será do secretário Carlos Leopoldo Gonçalves de Oliveira, da Divisão Oriente Médio II, do Ministério das Relações Exteriores. Em seguida Rodrigo Iglesias, da Inteligência Comercial da Apex, vai apresentar uma análise dos setores contemplados pela missão nos três países.

Sobre o Egito e Líbano, no ambiente de cultura de negócios, Michel Alaby, secretário-geral da Câmara Árabe, será o palestrante. Sobre o Irã, a apresentação será feita pelo presidente da Câmara de Comércio Indústria Brasil-Irã, Farrokh Faradji Chadan. Para a conclusão, o ministro José Mauro Couto, assessor especial do Ministro Miguel Jorge, falará sobre os aspectos práticos da missão, como logística e outros.

A missão

A missão contará com 80 empresários e passará pelos países de 11 a 17 de abril. A viagem, que será liderada pelo ministro Miguel Jorge, é organizada pelo MDIC com apoio do Itamaraty, Apex, Câmara de Comércio Árabe Brasileira e Câmara de Comércio e Indústria do Irã.

Nesta missão estarão representados os setores de alimentos e bebidas (carnes, frutas e sucos), casa e construção, metais não-ferrosos, produtos cerâmicos, obras de pedras, máquinas e equipamentos (produtos siderúrgicos, metalúrgicos, equipamentos médico-hospitalares e equipamentos para exploração mineral, construção e agricultura); veículos automotores (autopeças e ônibus), infraestrutura e aeronáutico.

Oportunidades

O Departamento de Comércio Exterior preparou um estudo sobre as oportunidades de negócios nos dois países árabes que fazem parte da missão: Egito e Líbano. De acordo com o estudo, a economia egípcia tem se diversificado e o crescimento tende a ficar acima da média mundial nos próximos três anos. O turismo está entre os setores mais importantes para o país, que recebe ao redor de 10 milhões de turistas ao ano.

O setor de construção também é bastante importante para o país que possui vários projetos em andamento. Ainda segundo o estudo, há expectativa de crescimento no fluxo de investimentos externos no Egito depois da queda devido a crise em 2009. O país tem procurado incentivar os investimentos externos simplificando as leis tributárias. Entre os setores promovidos estão o de moda e agrícola. “O Brasil se destaca no mercado egípcio como fornecedor de açúcar e carnes. Há mais oportunidades em outros setores como o alimentício”, diz o gerente de Desenvolvimento de Mercado da Câmara Árabe, Rodrigo Solano.

Em relação ao Líbano, o estudo mostra que a estimativa para o crescimento econômico é de 5,8% para 2010 e 5,5% para 2011 devido a um crescimento regional que aumentou investimentos e gastos em turismo. O país tem grande potencial turístico contando com resorts, pontos históricos em templos, ruínas, além de mercados e restaurantes típicos.

O Líbano conta com duas zonas francas. Os setores de turismo, indústria, tecnologia da informação e comunicação são apontados como promissores para receber investimentos. “Entre os produtos mais importantes estão veículos e maquinários, havendo oportunidades em setores como alimentos, moda e médico-hospitalares”, destaca Rodrigo.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta