Missão Brasil Trade África gera negócios para o setor de alimentos

0
94

Última atualização:

Brasília (Comex-DF) – A Missão Brasil Trade África, realizada entre os dias 1 e 4 de setembro em Johanesburgo (África do Sul), registrou US$ 4,3 milhões em negócios realizados durante o evento e outros US$ 40 milhões em negócios futuros, segundo estimativas dos próprios empresários brasileiros. Os acordos relativos ao setor de alimentos representam cerca 70% do total. Participaram da Missão 34 tradings de sete estados – cujos produtos expostos são fabricados por 376 indústrias de pequeno porte – e 150 compradores de 11 países africanos.

A próxima Missão para o segmento de tradings já está sendo organizada pela Apex-Brasil: será em março de 2010 no Oriente Médio. “Com esta e outras ações temos procurado ampliar as oportunidades de negócios para as pequenas e médias empresas que possuem bons produtos, mas ainda tem pouca experiência no mercado internacional”, explica Juarez Leal, coordenador de Projetos da Apex-Brasil.

A primeira Missão realizada pela Agência com as tradings brasileiras aconteceu em outubro de 2008, em Angola. Durante quatro dias, 66 tradings, representando mais de 150 pequenas empresas, participaram de rodadas de negócios com mais de 200 compradores angolanos, fechando negócios imediatos de US$ 1,4 milhão e negócios futuros de US$ 24,6 milhões. A segunda ação do Projeto Tradings foi realizada em maio passado, em São Paulo. Uma Rodada de Negócios colocou frente a frente, durante dois dias, 216 tradings brasileiras e 47 importadores de Cuba, México, Panamá, Venezuela, Argentina, Chile, Colômbia e Peru.

A missão Brasil Trade África envolveu tradings dos setores de alimentos e bebidas, casa e construção, vestuário e calçados, móveis e decoração, cosméticos e higiene pessoal e autopeças. Foram convidados compradores de Angola, Moçambique, Zâmbia, Ruanda, Uganda, Ilhas Maurício, Tanzânia, Quênia, Nigéria e Gana, além da África do Sul.

“Ações como essa ajudam o Brasil a diversificar a pauta de exportação. Em 2010 teremos atividades ainda mais estruturadas, pois acredito que este é o caminho certo para expandirmos as possibilidades de alcance externo às pequenas empresas brasileiras”, garante o presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta