Missão empresarial irá à Índia para diversificar exportações e reativar o comércio bilateral

0

Da Redação

Brasília – Empresários  e executivos de empresas brasileiras  dos setores aeroespacial, aviação, alimentos e bebidas, mineração, automobilístico, tecnologia da informação, metalurgia e, entre outros,  vão integrar a missão empresarial que irá à Índia no mês de outubro, numa iniciativa da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e sob a liderança da Câmara de Comércio Índia Brasil, sediada em Belo Horizonte.

Entre outros compromissos, os representantes das empresas brasileiras participarão, em Nova Delhi, da BRICS Trade Fair, de rodadas de negócios com suas contrapartes indianas, e de uma série de eventos preliminares à Cúpula dos BRICS, que será realizada no Estado de Goa, nos dias 15 e 16 de outubro.

Consul A.H da Índia em Minas Gerais, Elson de Barros Gomes Jr., Consul Geral da Índia em São Paulo Abhilasha Joshi, Embaixador da Índia no Brasil, Sunil Lal  e o Presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil, Leonardo Ananda, com sua esposa Brenna Corrêa
Consul A.H da Índia em Minas Gerais, Elson de Barros Gomes Jr., Consul Geral da Índia em São Paulo Abhilasha Joshi, Embaixador da Índia no Brasil, Sunil Lal e o Presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil, Leonardo Ananda, com sua esposa Brenna Corrêa

Em entrevista exclusiva ao portal Comexdobrasil.com, Leonardo Ananda Gomes (presidente da Câmara de Comércio Índia Brasil) fala sobre a expectativa em torno da missão empresarial  e revela confiança em que a realização de eventos como a BRICS Trade Fair e os contatos a serem mantidos pelos empresários brasileiros com seus colegas indianos contribuirá para gerar bons negócios e para ajudar a mudar a atual curva descendente no fluxo  comercial indiano-brasileiro em 2016. Leonardo Ananda aposta na retomada do crescimento das trocas comerciais entre os dois países já a partir de 2017. Abaixo, a íntegra da entrevista:

Comexdobrasil.com: Um grupo de empresários brasileiros deverá ir à Índia acompanhando autoridades do governo federal que participarão da próxima reunião de cúpula dos BRICS. De que maneira a Câmara de Comércio Índia-Brasil pretende participar desse evento?

Leonardo Ananda Gomes: A Câmara de Comércio Índia Brasil irá liderar uma delegação de empresários que integrará a delegação da Apex-Brasil e da CNI para a participação nos importantes eventos que antecedem a Cúpula dos BRICS. Levaremos empresários e executivos de todas as regiões do Brasil, de diversos setores, como aeroespacial, aviação, alimentos e bebidas, mineração, automobilístico, tecnologia da informação, metalurgia e financeiro. Iremos participar do BRICS Trade Fair, na cidade de Nova Delhi e agendaremos reuniões especificas atendendo as demandas de nossa delegação.

Comexdobrasil.com: O intercâmbio comercial entre a Índia e o Brasil registra em 2016 forte contração tanto das exportações brasileiras (queda de 24,47% de janeiro a julho de 2016 sobre o mesmo período de 2015) quanto das vendas indianas para o Brasil (redução de 52,42% no mesmo período). Em sua opinião, a que se deve essa retração tão acentuada nas trocas comerciais bilaterais? Como fazer para reverter essa situação?

Leonardo Ananda Gomes: O intercâmbio comercial entre os dois países vem crescendo muito desde 2003 ( ano em que foi criada esta Câmara), superando a cifra recorde de US$ 11,4 bilhões  em 2014. Foi um crescimento continuo e muito significativo neste 12 anos ( de 2003 a 2014) Porém, de fato, houve uma retração em 2015, que se acentuou em  2016, devido, principalmente à crise política e econômica que o Brasil tem enfrentado. Contudo já temos previsão de retomada do crescimento das trocas comercias entre Índia e Brasil já em 2017 e estamos trabalhando muito para não só fomentar este intercâmbio, mas principalmente para diversificar a pauta da balança comercial.

Comexdobrasil.com: Em sua opinião, de que maneira a troca de missões comerciais pode contribuir para alavancar o comércio entre os dois países? O que se pode esperar, em termos de negócios, dessa próxima ida de empresários brasileiros à Índia?

Leonardo Ananda Gomes: Acreditamos muito nas missões empresarias, quando as mesmas são organizadas com a antecedência devida e quando é composta por delegados, de fato, interessados em realizar negócios no país de destino. E esse é o caso das missões organizadas pela Câmara de Comércio Índia Brasil. Selecionamos bem as empresas que compõe nossas missões e preparamos agendas objetivas e especificas para cada empresa de nossa delegação, otimizando assim a participação de todas elas. Temos ótimas expectativas para esta nossa participação nos BRICS e com certeza voltaremos com resultados concretos. As agendas estão muito bem elaboradas e as empresas indianas que iremos encontrar estão com grande interesse em desenvolver parcerias, importações, exportações e. ou até mesmo joint ventures com as empresas brasileiras.

Comexdobrasil.com: As exportações brasileiras contam com uma participação de mais de 50% de produtos básicos e, em contrapartida, os bens industrializados foram responsáveis por 95,3% de todo o volume exportado pela Índia para o Brasil de janeiro a julho deste ano. Como reduzir esse desequilíbrio e acrescentar produtos manufaturados à pauta exportadora brasileira para a Índia? Quais produtos brasileiros de maior valor agregado podem passar a ser exportados para a Índia?

Leonardo Ananda Gomes: Excelente questão! Este é, de fato, nosso principal desafio e estamos trabalhando muito para diversificamos a pauta de exportação do Brasil. Temos boas oportunidades no setor aeroespacial, no setor de alimentos processados, defesa, e até mesmo no setor de serviços em tecnologia de informação. Sabemos da força da Índia neste último setor, mas já temos bons casos de sucesso de empresas brasileiras fazendo sucesso na Índia também neste segmento e estamos com outros bons projetos em andamento.

Comexdobrasil.com: A distância geográfica que separa os dois países e fortes diferenças de natureza cultural, de ambiente de negócios, são alguns dos obstáculos que dificultam uma maior expansão do comércio entre a Índia e o Brasil. Como ultrapassar esses obstáculos? Que conselho você daria a um empresário brasileiro interessado em iniciar exportações para a Índia?

Leonardo Ananda Gomes: Planejamento, organização, apoio institucional e precisão na seleção dos parceiros comerciais. A Índia é, de fato, muito peculiar, mas com boa orientação você consegue superar todos as barreiras mencionadas e realizar grandes negócios.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta