O ano de 2020 para o mundo do empreendedorismo no Brasil

0

O ano de 2020 foi diferente do que qualquer pessoa poderia esperar antes do surgimento da COVID-19. A economia brasileira foi particularmente afetada já que uma das formas de combater o avanço da pandemia é proibir o funcionamento de locais que muitas pessoas frequentam, locais como shoppings, grandes lojas, academias e etc. A economia brasileira foi atingida por um meteoro, justo no ano em que a reforma trabalhista entrou em vigor. Não é à toa que os temas da reforma trabalhista para tcc 2020 estão mudando consideravelmente na medida que o ano vai chegando ao fim, mas explicaremos em detalhes a seguir.

A pandemia de COVID-19 e os negócios brasileiros

O comércio não pode funcionar regularmente em boa parte do Brasil, por um bom tempo. Shoppings, academias, e grandes lojas não estavam funcionando como de costume. O resultado? Milhares de empresários sofreram e tiveram que declarar falência, demitir funcionários, pedir ajuda ao governo e etc. O que acontece é o simples efeito dominó, pequenos empresários não podem mais pagar seus funcionários contribuindo para o aumento de desemprego, aumentando o número de pessoas pedindo auxilio emergencial e se endividando.

As pequenas empresas foram a que mais sofreram

Não é difícil de entender porque as pequenas empresas sofreram mais do que as grandes empresas. Uma cadeia de restaurantes que fatura centenas de milhões de reais por ano pode sobreviver, mas o pequeno restaurante, negócio de família, com apenas uma unidade, provavelmente não vai se recuperar sozinho. Essa é a lógica para as pequenas empresas brasileiras. É claro que o Governo Federal consegue enxergar isso, como resposta, alguns programas de incentivo já estão em vigor.

A reforma da Previdência

O ano de 2020 foi quando a reforma da previdência entrou em vigor, mas como isso afeta as empresas brasileiras? Para começar vai ser necessário ajustar os cálculos com impostos e etc. Mas na prática, a reforma da previdência foi conduzida de forma que as empresas não se endividassem por causa dela.

O superendividamento das pequenas empresas

Em dezembro de 2020, a Caixa Econômica Federal anunciou que já tinha emprestado R$ 28,7 bilhões para micro e pequenas empresas. Algumas pessoas podem pensar que há benefícios com isso pois será possível arrecadar dinheiro com o pagamento de juros e etc., mas o problema é que não há garantias de que boa parte dos devedores serão capazes de quitar as dívidas.

Recursos emergenciais para empresários                   

Existem programas de apoio para as empresas brasileiras, mas aparentemente não tem sido o bastante. Como resposta, o Senado brasileiro aprovou um projeto que destina todos os recursos de programas emergenciais para o programa de apoio as pequenas empresas.

As oportunidades para as empresas relacionadas ao ensino e trabalho a distância 

Nem todo mundo pode sair de casa para trabalhar ou estudar. Mas trabalhar e estudar ainda são necessidades. Por isso, empresas provedoras de internet e outros serviços que viabilizam atividades essenciais em casa, tem uma oportunidade de crescimento. Através da internet é possível fazer atividades importantes como o trabalho de conclusão de curso, monografia e etc.

Expectativas para o futuro

A economia brasileira vai começar a se recuperar de verdade no momento que tivermos a certeza que a pandemia de covid-19 não é mais um problema. Isto é, assim que tivermos uma vacina.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta