O Chile se apresenta à África em Brasília como um país moderno, confiável e adepto do livre comércio

0

Da Redação

Brasília – Um país moderno, com uma economia pujante, um comércio exterior em franca ascensão, integrante da maior rede de acordos de livre comércio entre todos os países em desenvolvimento, dotado de um número expressivo de empresas com capital e interesse para realizar investimentos diretos em terceiros países e também de uma expressiva disposição em ampliar seus mecanismos de cooperação.

SEMINARIO CHILE AFRICA FOTO 2

Este foi, em resumo, o cartão de visitas apresentado hoje (11) em Brasília por autoridades chilenas a um grupo de mais de 20 embaixadores de países africanos no Seminário “Projeções Políticas, Econômicas e de Cooperação entre o Chile e a África”. Na oportunidade também foi feita uma apresentação do Plano “ExportAfrica”, criado pelo governo da presidente Michelle Bachellet para dar dinamismo e estreitar as relações econômicas, comerciais, de investimentos e cooperação entre o país andino e o continente africano.

SEMINARIO CHILE AFRICA FOTO 3Ao abrir o Seminário, o embaixador do Chile no Brasil, Jaime Gazmuri destacou que a realização do evento, o terceiro dessa natureza promovido pelo governo chileno, “mostra a clara vontade de ampliar nossa parceria com a África em todos os campos. Geograficamente estamos distantes do continente africano, mas temos vínculos importantes com seus países. A África constitui, cada vez mais, um ator relevante no comércio internacional e o Chile tem grande interesse em imprimir maior dinamismo às suas relações com esses países nas áreas do comércio, dos investimentos, da cultura e a cooperação, entre outras. Temos que explorar melhor as oportunidades de cooperação que se abrem para nós”.

Por sua vez, o embaixador o Zimbabue, Thomas Sukatai Bvuma, falou em nome da representação dos Embaixadores do Grupo Africano em Brasília e elogiou o governo chileno por realizar pela terceira vez um importante evento destinado a identificar novas oportunidades de cooperação e parceria entre o Chile e os países africanos nos mais diferentes domínios.

 O embaixador lembrou que a África e o Chile são muito distantes geograficamente mas afirmou que isso não impede uma maior aproximação entre as duas partes. Segundo o embaixador Bvuma, “a África precisa muito de capital e de tecnologia e está aberta ao diálogo e à cooperação”.

Plano ExportÁfrica

Na sequência da programação do Seminário, Roberto Paiva, diretor do ProChile (a agência de promoção das exportações, atração de investimentos e turismo) fez uma exposição abrangente e esclarecedora sobre o trabalho que vem sendo realizado pela instituição que conta com 55 oficinas comerciais em todo o mundo, duas delas abertas recentemente na África do Sul e no Marrocos e disse ainda que o ProChile espera abrir novas oficinas no continente africano no futuro próximo.

SEMINARIO CHILE AFRICA FOTO 4

Em sua palestra, Roberto Paiva apresentou o Plano  “ExportÁfrica”, um ambicioso projeto lançado pelo governo de Michelle Bachellet com uma série de ideias e atividades envolvendo a participação de órgãos governamentais e empresas privadas chilenas em feiras realizada na África, no envio de missões comerciais aos países da região e na implementação de iniciativas voltadas para a criação de um ambiente favorável à realização de mais negócios entre o Chile e os países africanos.

De acordo com Roberto Paiva, o ExportÁfrica permitirá ao Chile “potencializar a presença de empresas chilenas no Cone Sul da África e da região do Magreb, utilizando a cobertura proporcionada pelas oficinas comerciais e pelas atividades de promoção para incentivar os exportadores chilenos a utilizar essas plataformas de negócios. Além disso, o Plano permitirá alançar-se uma percepção favorável, entre os consumidores e outros atores africanos, sobre os produtos e serviços chilenos através de uma série de atividades promocionais”.

SEMINARIO CHILE AFRICA FOTO 5

Ainda segundo o diretor do ProChile, O Plano “ExportÁfrica”  contribuirá, através da realização de seminários e estudos de mercado, para difundir oportunidades reais de negócios nos países africanos, segundo o potencial de oferta exportável chilena em termos de bens e serviços.

Calendário de Eventos                                           

Em sua exposição, o diretor do ProChile apresentou o abrangente e ambicioso  calendário de eventos organizado pela Agência visando ampliar as relações com  a África. Entre os destaques figuram  a realização de um Seminário sobre Oportunidades de Negócios Argélia-Chile (dia 27 de maio, em Argel), inauguração da Oficina Comercial do ProChile na África do Sul (dia 18 de junho, em Johannesburgo), Missão Comercial à África do Sul, Moçambique e ao Quênia (de 20 a 27 de agosto) e participação em diversas feiras nos setores de alimentos, mineração, manufaturas e serviços  a serem realizadas em países africanos no decorrer de 2016.

Dia da África

Com o envio de missões comerciais, a participação em algumas das feiras mais importantes do continente, o Chile pretende elevar a um novo estágio suas atuais relações com os países do continente africano. E todo esse esforço em busca de uma relação mais intensa terá como destaque a realização, no dia 9 de janeiro de 2017, em Santiago do Chile, do Dia da África.

Segundo Roberto Paiva, “nosso objetivo é atrair um número expressivo de empresários chilenos e africanos para participar do evento, fazer networking e identificar novas oportunidades de negócios entre nossos países. Pretendemos colocar os empresários em contato e esperamos que eles realizem bons negócios”.

Além de chamar a atenção dos diplomatas africanos para as grandes oportunidades de negócios entre o Chile e a África, o diretor do ProChile lembrou que “existem também grandes possibilidades em matéria de investimentos diretos. As empresas chilenas têm realizado importantes inversões nos mais diferentes países e em múltiplos setores. O volume total desses investimentos supera a cifra de US$ 100 bilhões e existe disposição, capital e interesse das empresas chilenas em ampliar esses investimentos e a África pode ser um bom destino para esse capital. Da mesma forma, o Chile conta com um ambiente  negócios moderno, com regras claras de proteção e atração dos investimentos estrangeiros e tem plenas condições para receber investimentos de empresas africanas”.

Outras palestras

A programação do Seminário teve ainda exposições realizadas por Enrique Barriga (Subdiretor da África  e Oriente Médio, da Direção Geral de Política Exterior, sobre o tema “Política Exterior do Chile para a África. Convergência na Diversidade”, de Eugenio Possel (Chefe do Departamento de Cooperação Horizontal da Agência Chilena de Cooperação para o Desenvolvimento, abordando a temática “Construindo espaços compartilhados de Cooperação Sul-Sul) e da Chefe do Departamento da África e Oriente Médio da Direção Geral das Relações Econômicas Internacionais, Maria Constanza Alegria, que falou sobre “Plano África DIRECON, estreitando os laços”. O Seminário teve ainda rodadas de perguntas e respostas, que serviram para a apresentação de ideias, propostas e comentários sobre iniciativas visando uma maior aproximação entre o Chile e os países africanos.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta