Privacidade: responsabilidade de todos

0

Nos últimos anos, muito se tem falado em LGPD, cibersegurança, segurança da informação, fake news, clonagem de WhatsApp, roubo de dados, etc.

Não trataremos hoje da parte técnica da proteção de dados pessoais. Desejo que você, caro leitor, faça uma reflexão sobre a importância do tema e da nossa responsabilidade pela privacidade de nossos dados.

Sabemos que estamos vivendo na Era da informação, na Era Digital. Mas, quantas vezes você parou para pensar sobre qual o impacto disso em sua vida?  Vivemos com os aparelhos eletrônicos como se fosse uma extensão de nós, muitos dormem e acordam já com o smartphone em mãos. Não vou entrar no mérito da psicologia ou da saúde mental. Vamos tratar de segurança e de privacidade.

Tenho ouvido muito as seguintes falas:

  • “Eu não tenho mais privacidade para nada.”
  • “Será que nunca mais vou conseguir me livrar desses e-mails que chegam aos montes em minha caixa de entrada?”
  • “Aonde vou me sinto perseguida.”
  • Etc.

E tenho visto bastante situações como estas:

  • Em restaurantes, bares, trabalho, várias pessoas tirando self e postando imediatamente em suas redes sociais, passando sua localização e seus hábitos;
  • Estão de férias, cada clique é uma self para as redes;
  • Brigou ou se desentendeu com alguém, novamente outro clique e redes sociais.

 

Não sou contra o uso dessas ferramentas, de forma alguma, na empresa de que sou CEO, um dos serviços que oferecemos é Gestão de Redes Socias, com Marketing Digital, de forma consciente, humanizada, saudável e principalmente segura.

Tenho certeza de que a essa altura o leitor deve estar se perguntando aonde quero chegar, e, afinal, o que a segurança e à privacidade têm a ver com tudo isso? Tudo!!!

Nos expomos a todo momento e entregamos nossos dados às empresas sem um mínimo de critério, como se fosse uma obrigação fornecer nossos dados sem questionar. Isso mesmo, sem questionar, qual o nível de comprometimento e respeito que a empresa A ou B tem com o cliente.

Presenciamos farmácias, mercados, lojas, empresas de todos os tipos, “comprando” nossos dados por “descontos”, e, sem ao menos refletir, entregamos de “bandeja”, sem questionar se aquela empresa é realmente comprometida e segura para tratar nossos dados.

Responda agora: você sabe em quantas empresas seus dados pessoais estão (nome, e-mail, CPF, endereço, etc)? Já parou para pensar como esses dados são tratados? Já se questionou com que outra empresa seus dados serão compartilhados?

Quantas mensagens enganosas você já abriu enviadas via WhatsApp ou e-mail, com promessas de brindes ou de empregos de pessoas que você nem sabe quem são?

Essas perguntas só passarão a fazer sentido, quando:

  • Sua conta do WhatsApp e Instagram for clonada;
  • Souber que as lojas, bancos e empresas tiveram seus dados vazados.

Quando isso acontece, ficamos nervosos, aflitos, xingamos, queremos processar, mas efetivamente o que fazemos para mudar essa situação?

Raramente mudamos nosso comportamento, geralmente, passados alguns dias ou semanas, voltamos as mesmas práticas:

Entregamos nossos dados sem consultar se a empresas está atendendo a legislação da proteção de dados (LGPD), se há segurança da informação, se meus dados estão sendo tratados com a devida responsabilidade.

Pense comigo, querido leitor: se uma empresa atende à proteção de dados, ela está na linha dos atualizados, da transparência, segurança…é uma empresa confiável e que respeita os direitos humanos, respeita os clientes, funcionários e parceiros de negócios. É uma empresa que realmente te leva a sério!

Se a empresa em que você entrega seus dados não leva a proteção de dados a sério, é uma empresa que está na contramão da inovação, da atualização, não é confiável, não há respeito pela segurança dos clientes, não há transparência.

A privacidade de nossos dados é responsabilidade nossa! Então, vamos fazer a nossa parte:

  • Questionar qual é a razão da coleta de seus dados e como são tratados;
  • Buscar encontrar a política de privacidade da empresa;
  • Se não há mais relacionamento com aquela empresa, solicitar a exclusão dos dados;
  • Se já adequou à LGPD;
  • Se tem um DPO (responsável pela adequação e por responder a todas essas perguntas acima, dentre outras funções).

Vamos começar a fazer a nossa parte?

Espero que faça sentido para você e, se fizer, compartilhe!

Se ficou com alguma dúvida, estamos à disposição, mande-nos um e-mail: dalva@usetecnologias.com.br

 

Dalva Azevedo Neiva – é Cofundadora e Sócia – USE

Tecnologias®, Coordenadora da ANPPD@ Regional DF, Perita do TJDF, Membra do Comitê de Segurança da ANPPD®, DPO e Consultora de Privacidade de Dados Gestora de Riscos de Segurança e Privacidade 

 

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta