Manufaturados respondem por 91,2% das exportações para Argentina no 1o. trimestre

0

Brasília – A Argentina é o país em todo o mundo que, em termos percentuais, mais importa produtos industrializados brasileiros e de janeiro a março os bens manufaturados foram responsáveis por 91,2% das exportações totais brasileiras para o país vizinho, com os embarques desses produtos totalizando US$ 3,51 bilhões.

As vendas totais do Brasil para a Argentina somaram US$ 3,845 bilhões. Por outro lado, os produtos industrializados foram também responsáveis pelo maior percentual das exportações argentinas para o Brasil por fator agregado, com um percentual de 69,6% e receita de US$ 1,5 bilhão de um total de US$ 2,153 bilhões embarcados pela Argentina para o Brasil.

Segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), no primeiro trimestre deste ano, as exportações brasileiras de bens manufaturados para a Argentina tiveram uma alta de 23,3% comparativamente com igual período de 2016. E o grande destaque ficou por conta da indústria automobilística.

As vendas de automóveis cresceram 27,9% para US$ 1,03 bilhão e responderam por 11% do total exportado. Com uma alta muito mais expressiva de 116,8%, os veículos de carga geraram receita de US$ 421 milhões (participação de 11% nas vendas ao país vizinho), enquanto as exportaões de tratores aumentaram 27,6% e totalizaram US$ 99 milhões. Os demais produtos industrializados subiram 13,3% para US$ 140 milhões e responderam por 3,6% do volume total exportado para o país vizinho.

Em relação ao valor agregado, os produtos básicos geraram uma receita de US$ 188 milhões, com alta de 82,8% sobre o primeiro trimestre do ano passado (participação de 4,88% nas exportações para os portenhos) enquanto os bens semimanufaturados totalizaram US$ 142 milhões (alta de 30,0% e participação de 3,69% nas exportações).

Do lado argentino, mesmo com uma retração de 6,3%, os veículos de carga foram o carro-chefe dos embarques para o Brasil e as exportações somaram US$288 milhões (participação de 13%). A seguir vieram automóveis, com receita de US$ 241 milhões (queda de 7,0% e participação de 11%), trigo em grãos, com receita de US$ 235 milhões (alta de 42,1%  participação de 11% nas vendas ao Brasil) e partes e peças para veículos e tratores, no montante de US$ 102 milhões, com aumento de 4,9% e participação de 4,8% nas exportações totais argentinas para o mercado brasileiro.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta