Projeto da Apex-Brasil ajuda a transformar mulheres empreendedoras em exportadoras

0
259

Última atualização:

São Paulo – Um projeto da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) está ajudando a transformar empreendedoras brasileiras em exportadoras. Lançado oficialmente em março deste ano, mas com ações anteriores, o Mulheres na Exportação atingiu cerca de 1.300 empresárias em 2016 com sensibilização para o comércio exterior.

A coordenadora de Competitividade da Apex, Adriana Rodrigues, contou à ANBA que a agência começou a olhar para a geração de oportunidades para mulheres em 2011, quando fez um trabalho interno na área de sustentabilidade e constatou que apesar da participação feminina importante dentro da Apex, não havia nenhuma ação externa.

Ao mesmo tempo, a Apex percebia que oportunidades se apresentavam na área, com a Organização Mundial do Comércio e a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) debatendo como as mulheres empreendedoras poderiam participar do comércio internacional e assim ajudar a desenvolver a economia mundial.

Acompanhando esse movimento, no ano passado a Apex organizou na capital paulista em parceria com o International Trade Center (ITC) o Women Vendors Exhibition and Forum (WVEF), fórum no qual aconteceram encontros de negócios entre mulheres empreendedoras de pequenas empresas brasileiras e compradores de multinacionais.

Na época foi lançada parceria entre a agência e a Rede Mulher Empreendedora (RME), uma rede de mulheres de negócios. De lá para cá, a Apex convoca as empresárias a participarem das reuniões “Café com Empreendedoras”, nas quais acontece sensibilização para o comércio internacional. Após os encontros, as mulheres são instruídas a procurar a Apex e a se inserir em algum dos seus projetos de incentivo às exportações.

No Fórum Empreendedoras da RME que ocorreu na capital paulista em setembro a Apex promoveu novas ações, como rodadas de negócios entre as empresárias e compradores internacionais e tradings. Durante o ano foram feitas outras atividades voltadas para elas.

Por meio do projeto Mulheres na Exportação, as empreendedoras conhecem e são instruídas a se inserir em plataformas digitais internacionais para vender ao mercado externo, como a do ITC, por meio da qual podem se conectar com compradores de multinacionais.

Divulgação

Projeto da Apex-Brasil ajuda a transformar mulheres empreendedoras em exportadoras
Mulheres em fórum do ITC e Apex-Brasil

Adriana Rodrigues cita outras duas plataformas com as quais o projeto trabalha, a “connect americas”, criada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, também para encontrar importadores, e WEConnect, que certifica mulheres empreendedoras para participarem da sua plataforma de negócios. “Divulgamos para nossa base para que elas possam aproveitar essas oportunidades”, afirma a coordenadora de Competitividade.

A Apex tem parceria com várias entidades para levar o projeto das mulheres adiante como Fundação Dom Cabral, Fundação Getúlio Vargas e Itaú, e tem ainda outras iniciativas das quais as empreendedoras podem se beneficiar, como o Passaporte para o Mundo, programa de capacitação para exportação que tem parte voltada para o público feminino.

As ações do Mulheres na Exportação são focadas em treinamento e promoção comercial. Neste ano, além das mais de 1.300 que participaram dos “Cafés com Empreendedoras”, workshops e palestras, 47 empresas lideradas por mulheres participaram de ações de promoção comercial da Apex e 48 empresas também com mulheres no comando passaram por qualificação. Na base de empresas que participam de projetos da agência, 986 são de mulheres.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta