Quem são os jovens atletas brasileiros que podem ganhar medalhas nas Olimpíadas de Paris-2024?

0

São Paulo – As Olimpíadas de Tóquio foram acompanhadas em peso pela mídia brasileiro. No site Jornal365, por exemplo, novidades não só sobre a competição, mas também sobre a cultura, a economia e a sociedade japonesa foram abordadas ao longo de quase um mês de competição. Apesar dos problemas envolvendo a pandemia causada pelo novo coronavírus, as Olimpíadas de Tóquio foram um sucesso.

No campo esportivo, a sensação de dever cumprido da delegação brasileira é ainda maior. Mesmo com as dificuldades de muitos atletas na preparação, ausência de treinos e adaptação complicada, o Time Brasil fez bonito em terras nipônicas e teve o melhor desempenho da história. Foram 21 medalhas no total, superando inclusive o recorde feito há cinco anos, no Rio de Janeiro.

Agora, todos os olhos estão voltados para Paris. A capital francesa já está ajustando os últimos detalhes para receber as Olimpíadas de 2024. Analistas de desempenho e comentaristas começam a prever quais são as promessas do esporte brasileiro que podem fazer bonito na Cidade Luz. Nomes consagrados, como Rebecca Andrade, Thiago Braz, Alison do Santos e Isaquias Queiroz já são certeza de medalha. Mas há outros bons atletas vindo por aí, e que podem surpreender o público brasileiro.

O caminho de três anos para lapidar as jóias é longo, feito em disputas de Campeonatos Mundiais, Copas do Mundo e Pan-Americanos, que servirão como um aquecimento. É importante acompanhar o desempenho dos atletas nas competições e sentir como cada um deles vai chegar no ponto máximo da temporada, que são os Jogos Olímpicos. Diante da quantidade enorme de atletas, aqui vai uma lista com alguns destaques para ficarmos de olho até 2024.

No boxe, o nome da vez é Keno Marley. Ele já fez bonito em Tóquio e avançou para as quartas de final ao derrotar o chinês Daxiang Chen, porém perdeu para o britânico Benjamin Whittaker e ficou a uma luta de garantir medalha na categoria até 81 kg. O desempenho animou o atleta, que se mostrou confiante após o resultado.

Outro boxeador da lista, o lutador da categoria peso-pesado masculina surpreendeu o público com seu desempenho, perdendo apenas para o cubano Julio Cesar La Cruz na semifinal. Ainda assim, garantiu a medalha de bronze no torneio. Vale lembrar que o cubano já foi campeão mundial e é tido como um dos principais nomes da categoria.

Modalidade que conquistou o coração dos brasileiros, o skate garantiu medalhas do Brasil com Kelvin Hoefler e Raíssa Leal, que ficou conhecida como fadinha do skate. Outra que quase levou uma medalha foi Dora Varella, que aos 20 anos chegou a final e surpreendeu a todos com bom desempenho. As chances, então, ficaram para Paris.

Modalidade que tradicionalmente garante bons resultados para o Brasil em Olimpíadas, o judô esteve abaixo da média em Tóquio. Por isso, a necessidade de renovação passam por alguns nomes que estão chegando com força total. O primeiro deles é o de Larissa Pimenta, que perdeu para a japonesa Uta Abe e foi eliminada nas oitavas de final, na categoria até 52 kg. Apesar da derrota, o jogo consistente e agressivo chamou a atenção do público e dos analistas.

Outra judoca para ficarmos de olho é Gabriela Chibana, na categoria at;e 48 kg. Ela só foi parada  pela kosovar Distria Krasniqi, que se tornou a número um no ranking mundial da categoria. Gabriela busca fazer um ciclo forte para chegar em Paris-2024 com chances de medalha.

Para fechar, o assunto é ginástica. Se em Tóquio tivemos o desempenho deslumbrante de Rebecca Andrade, que levou para casa um ouro e uma prata, a bola da vez em Paris pode ser Diogo Soares.  O atleta de 19 anos foi uma das revelações da modalidade, com uma vaga na final do individual geral, terminando na vigésima posição. Há expectativas de que ele ganhe musculatura, força e experiência e chegue mais pronto em Paris.

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta