Renovigi inicia processo de internacionalização e meta é explorar mercado de energia solar da AL



Última atualização: 24 de Julho de 2019 - 22:18
0
930

São Paulo – A Renovigi, líder na fabricação de sistemas fotovoltaicos no Brasil, deu o seu primeiro passo para a internacionalização das suas soluções. A empresa de Chapecó (SC) está participando da ExpoSolar, em Medelín, na Colômbia, o evento reúne as principais empresas do mundo de energia solar, eficiência energética e mobilidade eletrônica.

Apontada pela Delloite como a empresa de médio porte que mais cresce no país, a Renovigi obteve um crescimento de 2.840% nos últimos quatro anos. Em 2015, o faturamento era de R$ 5 milhões. Em 2018, a empresa encerrou o ano com R$ 150 milhões e agora se prepara para crescer ainda mais e a internacionalização faz parte desse novo passo.

“Desde que iniciamos a Renovigi sabíamos que em algum momento chegaríamos neste patamar que estamos hoje. Crescemos, expandimos, mas sempre com os pés no chão, um passo de cada vez. Por isso, este ano é muito especial para nós, já que marca a nossa expansão internacional”, comemora Alcione Belache, CEO da Renovigi.

O executivo explica que a Colômbia é um país em crescimento quando o assunto é energia renovável, com uma excelente condição para instalação de projetos, tendo um grande potencial. Por isso, foi um dos mercados escolhidos para integrar essa nova etapa.

Aceleração

“A nossa expectativa é atingir R$ 500 milhões de faturamento em 2019. Em paralelo a este crescimento, a forma de trabalho da Renovigi agrega à marca o peso de ter 99,8% de clientes satisfeitos”, acrescenta Belache.

Comparando os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), atualmente, a empresa detém mais de 15% do market share no país. Com o incremento esperado, os executivos esperam alcançar 25% do mercado até o final de 2019. Hoje mais de 90 pessoas trabalham diretamente na Renovigi, que movimenta mais de 9.000 pessoas indiretamente entre os profissionais das empresas credenciadas (parceiros da Renovigi que revendem e instalam os equipamentos da marca em todas as regiões do Brasil, e agora internacionalmente).

Alcione Belache, CEO da Renovigi, comenta que alguns pilares têm sido essenciais para que ocorra este crescimento. “O mercado nacional e internacional exige que estejamos sempre inovando. Precisamos ter a capacidade de resiliência, e gestão da nossa equipe. Temos em nosso DNA investir em pessoas, tecnologias e inovações. E trouxemos toda essa nossa expertise aqui para Medelín”, pondera Belache.

O grande diferencial da Renovigi é ter o sistema fotovoltaico com a sua própria marca. “Conseguimos entregar um produto diferenciado ao mercado, com certificação Inmetro, selo Anatel, garantia diferenciada, com troca imediata de equipamentos se constatado defeito, além de termos a nossa própria marca nos sistemas. Essa personalização também nos permite entregar as soluções que qualquer país necessita, já que cada um possui as suas regras e leis”, explica Alcione.

Ter esta solução permite a empresa entregar um pós-venda mais rápido. “Estar sempre próximo ao nosso credenciado, e ao consumidor final é uma estratégia que não falha. Nossa garantia é imediata e garante que, em caso de algum defeito, o consumidor fique o menor tempo possível sem gerar sua própria energia. E começarmos pela Colômbia nos dá agilidade por estarmos próximos”.

Cenário de expansão mundial e no Brasil

Os números de projeção da Aneel, indicam que 886.723 sistemas fotovoltaicos serão instalados somente no Brasil de 2019 até o ano de 2024. Em janeiro de 2018 a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) anunciou que o país havia ultrapassado a marca recorde de 1 gigawatt de capacidade instalada em projetos de energia solar em operação. De acordo com a entidade, apenas 30 países do mundo atingiram esta marca, que significa capacidade energética para abastecer 500 mil domicílios por um ano.

(*) Com informações da  Renovigi

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta