Roadshow divulga a produtores do Corredor Centro-Norte programas voltados ao comércio exterior e internacionalização

0

Brasília – Com o intuito de instrumentalizar micro e pequenos empreendedores de uma região que busca opções às tradicionais saídas de exportação do Sul e Sudeste para se inserirem no mercado internacional, a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) participou do Road Show “Integração e Desenvolvimento do Corredor Centro-Norte”.

O Corredor atravessa um trecho do País que abrange os estados do Maranhão, Piauí, Tocantins, Goiás e os municípios do sul do Pará e do nordeste de Mato Grosso, com um total de 2.710 municípios, interligados ao Matopiba – região formada por áreas majoritariamente de cerrado nestes quatro estados e na Bahia. Trata-se de um sistema logístico multimodal, com rodovias, ferrovias e um complexo hidroviário, cujo objetivo é facilitar o transporte e o escoamento da produção das regiões Norte e Centro-Oeste, pelos Portos da Baía de São Marcos, no Maranhão, mais especificamente o Porto do Itaqui.

Após percorrer 12 cidades do País desde setembro, a exposição itinerante se encerrou nesta terça-feira (9) em Brasília. O objetivo foi conhecer a realidade local, sob a ótica de empresários, produtores, transportadores, gestores públicos e sociedade civil organizada e realizar ações estratégicas de curto e médio prazo ancoradas na participação ativa do setor privado e público para o desenvolvimento da região. O intuito é fomentar a melhoria da infraestrutura de transportes e levar conhecimento em relação à possibilidade de geração de emprego e renda.

O Road Show – que contou com cerca de 700 participantes de forma presencial e mil de forma online – foi organizada pela Adecon, entidade que atua como mediadora entre os setores público, privado e a sociedade, gerando  sinergia entre os esforços nas esferas Federal, Estadual e Municipal.

A partir da segunda metade dos anos 1980, a região que o Corredor Centro-Norte abrange apresentou a expansão da atividade agrícola, com ampla produção, de tubérculos a frutas, passando pela pecuária. O destaque produtivo, no entanto, é do cultivo de grãos e fibras, especialmente soja, milho e algodão.

O evento de encerramento das exposições que ocorreram país afora contou com a presença do coordenador de Relações Institucionais e Governamentais da Apex Brasil, Antônio Carlos Ferreira. Segundo ele, a agência vislumbrou na iniciativa da Adecon uma oportunidade de falar para esses públicos sobre os programas de incentivo e de capacitação de exportadores e produtores que pretendem se internacionalizar. “Estar presente divulgando os programas como o Peiex [Programa de Qualificação para Exportação] e apresentar o portfólio de serviços para potenciais exportadores dessa região é uma grande oportunidade”, afirmou.

Apoio a empresas

Ao apresentar a Apex-Brasil no encerramento da apresentação em Brasília, Antônio Carlos, destacou que a Agência já realizou 108 ações de promoção entre janeiro e junho de 2021, tendo apoiado mais de 11 mil empresas, um crescimento de 7% em relação ao mesmo período no ano passado. No mesmo período, atuou para a qualificação de mais de 5 mil empresas, sendo que 30% desse total são de companhias que não trabalhavam com a agência.

O coordenador explanou as ações de inteligência de mercado e de atrações de investimentos realizadas pela Apex Brasil e as oportunidades de internacionalização para o país. “Temos muitas possibilidades para crescer, gerando mais empregos, renda e negócios. Nesse Road Show pudemos conhecer e ouvir também as demandas dos produtores, o que nos ajuda a aprimorar ainda mais os nossos serviços”, concluiu.

(*) Com informações da Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta