StartOut Brasil segue com inscrições abertas para 4º. ciclo do ano com programa intenso em Xangai



Última atualização: 7 de Agosto de 2019 - 11:27
0
371

Entre os dias 01 e 06 de dezembro de 2019, os empreendedores terão uma agenda intensa na China, que contará com treinamento de pitch internacional; conexão com clientes, parceiros e investidores; visitas a ambientes de inovação; acesso a workshops com prestadores de serviços; reuniões com potenciais parceiros de negócios; e imersão no ecossistema de inovação de Xangai.

Inscrições

Até o dia 26 de agosto, os empreendedores interessados em realizar uma imersão em Xangai (China) deverão fazer sua inscrição aqui. O formulário deve ser preenchido obrigatoriamente em inglês, de forma detalhada e apresentando dados corretos e específicos sobre a empresa e mercado alvo. Cada inscrição será inicialmente analisada por responsáveis das instituições organizadoras e as 40 startups mais bem posicionadas serão avaliadas por especialistas no mercado de destino.

Serão selecionadas 15 startups brasileiras que nunca participaram ou fizeram parte de apenas um ciclo do programa e até cinco startups classificadas como graduadas, ou seja, aquelas que participaram de dois ou mais ciclos do StartOut Brasil. O resultado será anunciado no dia 27 de setembro.

Ecossistema Chinês

A China é o país que mais tem avançado no ranking global de inovação e isso se deve ao crescente investimento em pesquisa e expansão do número de patentes. Em apenas dois anos, o empreendedorismo chinês se transformou em uma tendência e o governo estabeleceu políticas públicas para incentivar essa prática e, com isso, aumentar a quantidade de emprego, gerar riqueza e suavizar pressões financeiras.

Além disso, a China já é o segundo país com mais unicórnios do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. A região também aparece entre os 10 principais ecossistemas globais no estudo Global Startup Ecosystem Report 2019, onde se encontra na quarta posição (com Beijing) e na oitava posição (com Xangai).

Desde 2009, o país é o maior parceiro comercial do Brasil e o governo local atua de maneira agressiva e estratégica para fomentar ainda mais negócios entre as duas potências.

(*) Com informações da Apex-Brasil

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta