Startup de compartilhamento de bagagens lança plano de expansão no Brasil e foca em Brasília

0
168

Última atualização:

São Paulo – A economia compartilhada cresce a cada dia no Brasil e o compartilhamento de bagagens já é uma alternativa muito utilizada por brasileiros, não é mesmo? Afinal, quem nunca pediu para um amigo que está em viagem no exterior trazer na mala um produto importado?

Pensando em facilitar a vida de quem procura economizar comprando direto do exterior ou acessar produtos indisponíveis por aqui, a Grabr (https://grabr.io/) – app de compartilhamento de bagagens – conecta compradores a viajantes e permite que brasileiros tenham acesso a produtos de diversas partes do mundo.

A  Grabr acaba de lançar seu plano de expansão no Brasil – país que mais encomenda pelo app, seguido da vizinha Argentina. Com a chegada do app na cidade de Brasília – o lançamento ocorre dia 21/01/18 -, a startup busca crescer 20% no Brasil até março. Para Michele Chahin, embaixadora da Grabr no Brasil, Brasília é uma cidade chave, já que os brasilienses costumam fazer muitas viagens para o exterior.

De acordo com pesquisas, o brasileiro viaja de férias uma vez por ano (média), já os moradores de Brasília costumam sair da cidade a lazer e descanso de duas a três vezes no ano. Em algumas empresas de turismo, a capital federal chega a ser o segundo mercado quando se fala em pacotes para o exterior.

 “Queremos atingir principalmente países com uma economia em desenvolvimento, onde o acesso aos produtos de outros países é restrito. Utilizamos a tecnologia para romper barreiras e para que todos tenham acesso aos seus produtos favoritos de todos os lugares do mundo, além disso, buscamos ajudar os viajantes para que façam cada vez mais viagens”, afirma Michele Chahin.

 Como surgiu o Grabr?

Morando em São Francisco (EUA), os russos Daria e Artem encontravam dificuldade em conseguir produtos que não estavam disponíveis no país, muitas vezes eles procuravam por itens da Rússia e Espanha – país onde também já moraram. Diante desse “gargalo”, os jovens enxergaram uma oportunidade de negócio e em 2015 decidiram criar o Grabr – marketplace de compartilhamento de bagagem que conecta viajantes internacionais e compradores que desejam produtos de outros países.

 Presente em 120 países, a Grabr possui ao redor do mundo mais de 800 mil usuários – entre compradores e viajantes. Sucesso nos Estados Unidos, a startup tem como foco o mercado da América do Sul, com destaque para Brasil e Argentina. Além dos diversos usuários, os fundadores também usam o app como compradores e como viajantes: Daria Rebenok já chegou a entregar aproximadamente 200 itens para usuários ao redor do mundo.

 Como funciona?

Com a Grabr o comprador além de economizar no preço do produto, não precisa pagar altas taxas de frete nem esperar meses para receber o item comprado. A economia costuma ser de 30% a 40%, em média, podendo chegar a 80% em épocas de campanhas promocionais, como a Black Friday. Para o usuário gerar um pedido na plataforma é necessário inserir alguns dados do produto como a descrição do item e link de onde ele pode ser comprado no país do exterior. Com isso, viajantes podem trazer o produto, com uma taxa de recompensa, que é calculada com base no preço do produto.

 O valor da comissão só é liberado para o viajante após a entrega ser efetuada, garantindo a segurança do acordo. Os viajantes, por sua vez, podem monetizar suas viagens por meio das recompensas, ou seja, ao trazer produtos dentro do espaço livre de suas bagagens, o usuário recebe uma bonificação. É uma maneira segura de obter uma renda extra e ainda se conectar com pessoas do local que visitam.

(*) Com informações da Grabr

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta