Trading de commodities terá estande em pavilhão da Câmara Árabe na Gulfood pela 1ª vez



Última atualização: 4 de Fevereiro de 2019 - 11:12
0
8
Porto de Paranaguá registra aumentto de 2% na movimentação de cargas em 2016 - Carregamento de Açucar no Porto de Paranaguá- Foto: Ivan Bueno

São Paulo – O escritório brasileiro da RCMA Group, trading de commodities e gestão da cadeia de suprimentos, que trabalha com compra e venda de açúcar em seu escritório em São Paulo, participará pela primeira vez do estande da Câmara de Comércio Árabe Brasileira na Gulfood, principal feira de alimentos e bebidas do Oriente Médio, que ocorre de 17 a 21 de fevereiro em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

“Temos muitos negócios com a África e o Oriente Médio e já visitamos a Gulfood nos últimos anos, e para este ano decidimos participar com o estande da Câmara Árabe para fazer a manutenção de contatos e prospectar novos clientes”, afirmou o diretor da RCMA no Brasil, Felipe Ferraz, em entrevista à ANBA.

De acordo com Ferraz, o escritório em São Paulo foi aberto em 2016, mas a companhia já atuava no País com compra e venda de açúcar desde 2012. Pelo mundo, o grupo opera outras commodities como algodão, café e energia, e faz o esmagamento de grãos de colza, que origina o óleo de canola.

Com sede em Cingapura, a empresa foi fundada em 2009 por quatro sócios britânicos que reuniram tradings de borracha e outras commodities que atuavam há cerca de duzentos anos. Além do Brasil e Cingapura, a empresa tem escritórios em países como Reino Unido, Colômbia, Guatemala, Holanda, África do Sul e Austrália.

“Somos uma trading global que trabalha para gerenciar a cadeia logística desde a compra com o produtor até chegar no consumidor final, e temos foco na excelência dessa cadeia. Estamos presentes em todas as origens relevantes e operamos e distribuímos para mais de 50 países, e também temos proximidade com os armadores, o que nos garante um frete vantajoso”, disse Ferraz.

Entre os mais de cinquenta destinos ativos da operação brasileira do grupo, treze são árabes. Do Norte da África, Marrocos, Argélia, Líbia, Djibuti, Mauritânia, Egito e Somália; e do Oriente Médio, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Líbano, Omã e Palestina.

Segundo o diretor, o grupo RCMA já trabalhou com quase todos os outros países árabes, com exceção das Ilhas Comores. Ou seja, Síria, Bahrein, Catar, Iraque, Jordânia, Kuwait, Sudão e Tunísia. “A operação é sazonal, depende da safra e das condições locais”, informou.

No ano passado, a RCMA Brasil comprou 150 mil toneladas da refinaria de Dubai, a Al Khaleej, o equivalente a US$ 60 milhões. Ferraz disse que a trading compra açúcar refinado do Brasil, da Índia, da Ucrânia e da Tailândia, entre outros países produtores, e seu diferencial é vender o açúcar ensacado em contêineres, em sacas de 25 kg e 50 kg, distribuindo pelo mundo para atacadistas que vendem diretamente para o consumidor final.

A maior parte do volume exportado do Brasil, segundo o diretor, sai pelo Porto de Santos, mas o grupo também opera pelos portos de Itajaí (SC), Paranaguá (PR) – na foto acima –, Vitória (ES), Salvador (BA) e Suape (PE).

“Nosso volume global é de 600 mil toneladas por ano, pela média entre 2017 e 2018, o que equivale a 23 mil contêineres”, disse Ferraz. Somente do Brasil, o diretor informou que pela mesma média são 250 mil toneladas, ou 10 mil contêineres movimentados entre compra e venda da commodity.

Contato

RCMA Brasil
Av. Angélica 2.223, sala 501,
Consolação, São Paulo, SP
sugar@rcma.com

Serviço

Gulfood
17 a 21 de fevereiro
De 17 a 20, das 11 às 19 horas
Dia 21, das 11 às 17 horas
Dubai World Trade Centre
Dubai, Emirados Árabes Unidos
Credenciamento: até 07 de fevereiro, 270 dirhams (R$ 279); após esta data, 420 dirhams (R$ 434)
Clique aqui para se credenciar

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta