Turismo de terror: conheça três locais no Brasil que são famosos por serem assustadores

0

São Paulo – Se você é do tipo de pessoa que gosta de um filme e de uma aventura de terror, precisa visitar esses locais turísticos! Apesar de ser pouco falado entre as opções de turismo no mundo, existem vários estabelecimentos voltados para o turismo de terror – uma categoria que pretende oferecer experiências assustadoras, como castelos assombrados, prédios amaldiçoados e cenas de crimes que até hoje não foram solucionados. Locais onde tragédias aconteceram, inclusive zonas de guerra, também são considerados turismo de terror.

Pode parecer estranho para quem não gosta de ter essas experiências (afinal, é difícil de imaginar como há pessoas que gostariam de visitar um lugar assombrado), mas já é um nicho que está se tornando mais evidente, sobretudo nos Estados Unidos e na Europa. Mas o Brasil também não fica para trás aos olhos dos curiosos – existem, inclusive, diversos locais turísticos com requintes de terror. Conheça alguns deles!

Hospital Colônia Barbacena (Minas Gerais)

Criado pelo Governo do Estado de Minas Gerais, em 1903, para tratamento dos ditos “alienados”, o hospital negligenciava seus pacientes, permitindo a morte deles por fome, pneumonia, abandono, tortura e maus-tratos, além de frio. Homossexuais, militantes políticos, mendigos e mães solteiras eram internadas à força no hospital, e, em média, 16 pessoas morriam por dia ali. O hospital está em funcionamento até hoje, após uma reforma antimanicomial nos anos 80, e funcionários e pacientes relatam escutar gritos e choros vindos de uma ala desativada há anos.

O Fantasma de Lampião (Rio Grande do Norte)

Em expansão comercial e industrial em 1927, a cidade de Mossoró (RN) foi cobiçada pelo cangaceiro Lampião, que ali travou diversos combates que levaram ele e seu bando à derrota. Moradores da cidade dizem que o bando de Lampião jamais aceitou a derrota, e, por isso, às vezes, é possível ver os fantasmas dos cangaceiros rondando os limites do município.

Penitenciária de Cariri (Ceará)

Sem nenhum acontecimento histórico impressionante, a penitenciária é amaldiçoada por si só. Os detentos relatam ouvir choros, gritos e sussurros durante a noite nos corredores entre os blocos e nas celas. Há histórias de funcionários e detentos que tiraram a própria vida por não aguentarem o medo de viver no lugar. Segundo uma lista feita pelo escritor M. R. Terci, não é recomendado que nem os mais curiosos e experientes no assunto visitem o local.

É importante ressaltar, também, que o turismo de terror pode ser interessante não apenas aos curiosos ou pesquisadores do tema, mas também para profissionais de outras áreas de formação, como história, antropologia e até arquitetura EAD, visto que são locais de construção histórica e que, muitas vezes, precisam de restauração.

Por enquanto, com o aumento de casos de infectados pelo novo coronavírus, o ideal é continuar em casa, mas para quem tem curiosidade ou vontade de conhecer esses destinos no pós pandemia, já é possível planejar a viagem e buscar roteiros culturais.

(*) Com informações da Conversion

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta