Vietnã-Brasil, 30 anos de  cooperação frutuosa



Última atualização: 29 de Maio de 2019 - 21:28
0
78

Do Ba Khoa

Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República Socialista do Vietnã no Brasil

Maio de 2019 é um mês importante na cooperação Vietnã-Brasil – o mês em que ambos os países celebram o 30º aniversário do estabelecimento de suas relações diplomáticas bilaterais. 30 anos é um curto espaço de tempo nas relações entre nações, mas nesse período,  as relações Vietnã-Brasil testemunharam grandes e importantes avanços e criaram uma base sólida para uma parceria abrangente, sustentável e duradoura  nos anos seguintes.

Em 8 de maio de 1989, o Vietnã e o Brasil emitiram uma declaração conjunta para estabelecer relações diplomáticas e, em 2007, os dois países decidiram atualizar suas relações para uma parceria abrangente, marcando uma nova e importante etapa de relacionamento.

Desde o estabelecimento da parceria abrangente, os laços de  amizade e cooperação entre os dois países têm conhecido desenvolvimentos positivos nos mais diversos campos e refletem o espírito da parceria abrangente, bem como aspirações do Governo e do povo dos dois países, em benefício. Recíproco.

A confiança política mútua é cada vez mais consolidada, a compreensão mútua mais aprofundada  através das trocas de  centenas de visitas em todos os níveis, especialmente através do intercâmbio de visitas de alto nível do Presidente Tran Duc Luong ( Novembro de 2004), Secretário Geral do Partido, Nong Duc Manh (setembro de 2007), Presidente Lula da Silva (setembro de 2010), Vice-Presidente Nguyen Thi Doan (maio de 2015), Ministro das Relações Exteriores Aloysio Nunes (9/2017, 5/2018), Vice-Primeiro Ministro Vuong Dinh Hue (7/2018), Vice-Presidente da Assembleia Nacional Uong Chu Luu (4/2019) e Ministra do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  Tereza Cristina (5/2019).

A confiança e a vontade política dos líderes e dos governos de dos dois países facilitaram o fortalecimento do quadro legal para a cooperação com a assinatura de 16 acordos, protocolos e memorandos de cooperação em vários campos que vão da ciência e tecnologia ao transporte marítimo e aviação civil, da agricultura à saúde e  do comércio ao turismo, da diplomacia governamental  à diplomacia pública e da cooperação nacional à cooperação descentralizada.

O fortalecimento dos intercâmbios de delegações e atividades do Comitê Conjunto entre os dois Governos e a cooperação entre os dois Ministérios das Relações Exteriores  também criaram condições para os dois governos e os povos dos dois países entenderem melhor as necessidades de cada um. Possibilitaram também a valorização da tradição de apoio mútuo e recíproco nas instâncias das Nações Unidas e das organizações internacionais, melhorando conjuntamente sua posição na região de cada um e no mundo.

A cooperação abrangente entre os dois países foi ampliada e aprofundada também em áreas como a diplomacia parlamentar, entre grupos parlamentares,  entre cidades, localidades dos dois países e organizações de amizade.

Além do intercâmbio de delegações entre os dois Congressos Nacionais, a troca de experiências parlamentares se faz também através das atividades do Grupo Parlamentar de Amizade Vietnã-Brasil na Assembleia Nacional do Vietnã e seu parceiro que é o Grupo Parlamentar Brasil-Vietnã no Congresso Nacional brasileiro.

A parceria entre  cidades, províncias irmãs Hue-São Luis, Can Tho-Maranhão, Hai Phong-Curitiba, cidade Ho Chi Minh- São Paulo conhece também novas evoluções em áreas concretas.

Atividades da Associação de Amizade e Cooperação Vietnã-Brasil no Vietnã e da AbraViet no Brasil têm reforçado laços sociais e culturais assim como a simpatia entre os nossos dois povos, o que contribui também ao aumento de fluxo bilateral de turistas.

A cooperação comercial é uma area que conheceu evoluções mais impressionantes, com o valor das trocas comerciais bilaterais aumentando continuamente ao longo dos anos. Em apenas 17 anos, de 2001 a 2018, o fluxo comercial bilateral aumentou 155 vezes, chegando a US$ 4,5 bilhões. Em apenas 8 anos, de 2010 a 2018, o intercâmbio comercial bilateral aumentou mais de 4 vezes. O crescimento do comércio bilateral tornou o Vietnã o maior parceiro comercial do Brasil no seio da ASEAN, o quinto maior parceiro comercial do Brasil na Ásia. Para o Vietnã, o Brasil é o segundo maior parceiro comercial das Américas (logo atrás dos EUA).

O comércio bilateral é caracterizado pela complementaridade e a não concorrência direta, mesmo em commodities que se pode considerar como dois países competindo entre si, como no caso do café por exemplo. Vietnã e Brasil trocam café Arábica e Robusta para produzirem seus blends  de café para exportação.

A realidade do comércio Vietnã-Brasil  mostra que as duas economias precisam uma da outra para alcançar um melhor crescimento e a distância geográfica e as barreiras de idioma não impediram os esforços conjuntos para a aproximação entre os dois países.

O Vietnã é atualmente um membro ativo e uma porta de entrada favorável na ASEAN, onde a Comunidade Econômica da ASEAN  está em pleno e dinâmico desenvolvimento. A ASEAN conta com 635 milhões de habitantes e consumidores, a sexta maior economia do mundo, e deve ser  considerado um mercado muito potencial para bens, especialmente produtos agrícolas brasileiros.

O processo de Renovação (Doi Moi), iniciado há 33 anos transformando o Vietnã na segunda economia mais aberta na ASEAN e reformas em curso no Brasil estão oferecendo novas oportunidade para uma parceria mais robusta entre os dois países.

Olhando para os últimos 30 anos, pode-se ver que as relações entre os dois países têm feito progressos muito positivos em todas as áreas, mas o espaço para a cooperação bilateral, especialmente em  algumas áreas prioritárias tais como: (i) cooperação científica, transferência de tecnologia em algumas áreas, da agricultura à produção, usando o etanol combustível.

Em alguns produtos, os dois países  têm vantagens comparativas como a produção de arroz, cultivo e processamento de frutos do mar, tecnologia de processamento de café e açúcar para aumentar o valor agregado e criar mais empregos; (ii) cooperação na indústria de defesa e defesa nacional com a participação da Avibras; (iii) cooperação na aviação civil com participação da Embraer; (iv) continuar a promover a cooperação comercial e de  investimento, eliminando bilateralmente  barreiras técnicas aos produtos agrícolas uns dos outros, e maior abertura mútua de mercado para produtos agrícolas e analisar  possibilidades de negociações do Acordo de Cooperação e Facilitação do Investimento Bilateral e do  Acordo de Livre Comércio Vietnã-Mercosul; (v) promover conjuntamente a aproximação entre a ASEAN e o Mercosul, dando prioridade, no primeiro passo, à  cooperação comercial e econômica entre as duas comunidades.

Para o Vietnã, o Brasil tem sido sempre o  parceiro da primeira importância na América do Sul. Com o Brasil, o Vietnã é um parceiro importante na região. Após 30 anos de amizade e cooperação, o Vietnã e o Brasil construíram uma plataforma sólida de relacionamento, com confiança e determinação política compartilhadas. Estou convencido de que, na base dessa plataforma, os dois países continuarão a aproveitar oportunidades, explorar áreas potenciais e trabalhar juntos para abrir uma nova etapa de relacionamento e elevar a cooperação a um novo e mais elevado patamar e alargar a cooperação regional Vietnã-Mercosul, ASEAN-Mercosul.  

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta