Vítor Diniz, empresário da Agência Voga e enófilo, revela os encantos do universo dos vinhos

0
492

Última atualização:

São Paulo – O jovem empresário Vitor Diniz, há 10 anos à frente da Agência Voga, referência em live marketing, tem a publicidade como profissão e a paixão pelo universo dos vinhos como hobby. Enófilo, dedicou-se com afinco ao estudo do vinho por influência do pai e há 12 anos busca aperfeiçoar o entendimento pela bebida, visitando vinícolas pelo mundo, provando e acompanhando a produção dos mais diversos tipos e sabores.

Comentando sobre os diversos tipos da bebida, Vitor revela que o conhecimento é fundamental. “A busca pela descoberta e melhor experiência é contínua”, destaca. “Muita gente quer saber o meu vinho preferido, mas quanto mais experiência se adquire no meio, mais difícil fica escolher um específico. Sou de fases, já passei pelos italianos, espanhóis, portugueses, e diria que agora estou na fase dos californianos de Napa Valey”, completa.

Segundo Diniz, os tintos da região da Califórnia conseguem entregar a elegância do velho mundo, com uma parcela e potência mais atual, que também estão presentes nos grandes fermentados argentinos e chilenos.

Vítor Diniz, empresário da Agência Voga e enófilo, revela os encantos do universo dos vinhos

Sempre que a agenda atarefada permite, o empresário viaja para conhecer locais com cultura forte ligada ao vinho. Diniz apontou as três melhores vinícolas no topo de suas melhores lembranças: a Opus One (Ao norte de Napa – California), Château Latour (Bordeaux – França) e Vega Sicilia (Ribera Del Duero – Espanha). Em uma de suas passagens pela Itália, o CEO fala de quando dedicou um mês em 2015, para estudar e conhecer os terroirs de norte a sul do país, passando por grandes cidades e pequenos vilarejos, mergulhando fundo nas parreiras e em muitas taças.

De acordo com Vitor, há um grande tabu em torno dos vinhos envelhecidos, que necessitam de tempo diferenciado para alcançarem o equilíbrio perfeito entre aroma e sabor. “Cada tipo de uva, terroirs e blends têm suas particularidades e singularidades distintas. É importante dizer que, nem todo vinho velho, é igual a vinho bom. Um Barolo de 8 anos ainda é jovem para tomar, mas um Bojoules Novau de 4 anos pode já estar estragado quando for aberto”, ressalta.

Sempre que pode, Vitor dedica momentos para apreciar seus vinhos e champagnes favoritos, além de estar constantemente fazendo novas descobertas com seus amigos e familiares que compartilham do mesmo gosto.

Vítor Diniz, empresário da Agência Voga e enófilo, revela os encantos do universo dos vinhos

“Os famosos espumantes de Reims são, em minha opinião, a bebida certa para todas as horas e ocasiões. De dia ou de noite, sozinho ou acompanhado, na alegria ou na tristeza, sempre cai bem”, conta. “Também não deixo faltar bons Borgonha, que sempre agradam, por serem vinhos extremamente elegantes com predominância de Pinot Noir”, conclui.

(*) Com informações da Agência Voga

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta