Wines of Chile quer fazer do Brasil 3º. maior mercado para vinhos do país em todo o mundo



Última atualização: 9 de Julho de 2019 - 09:43
0
405

Da Redação

Brasilia –  O Chile quer transformar o Brasil no terceiro maior mercado para os vinhos exportados pelo país e para isso projeta um crescimento de 10% ao ano no mercado brasileiro por meio de investimentos continuados no segmento do trade, capacitação de profissionais e comunicação com o consumidor. Em termos concretos, o país vizinho aumentou em 10% os investimentos para 2019 visando fazer o Brasil  passar do atual quinto lugar para o o terceiro principal destino de exportação do produto e consolidar-se como maior fornecedor de vinhos de qualidade para o mercado brasileiro.

Para alcançar esses objetivos, a Wines of Chile programou uma série de eventos a serem realizados no decorrer deste ano nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Florianópolis e diversas outras com o objetivo de  reunir representantes do trade (compradores como operações de e-commerce, redes de supermercados e lojas especializadas), profissionais (sommeliers) e público final, incluindo ações digitais e com influenciadores. Com essas iniciativas, a Wines of Chile buscará aumentar a visibilidade e capilaridade de sua extraordinária indústria vinícola num de seus maiores mercados em todo o mundo.

Em entrevista exclusiva ao Comexdobrasil.com por email, a Diretora Comercial da Wines of Chile, Angelica Valenzuela mostrou otimismo e confiança na consolidação do Brasil como importante consumidor dos vinhos chilenos. Para ela, “o Brasil é o maior mercado de consumo em toda a América Latina e queremos sempre estar ao lado deste gigante”.

Profunda conhecedora do mercado brasileiro e de suas potencialidades, ela enxerga como positivo um fato que para muitos é um obstáculo quase intransponível  àqueles que buscam conquistar espaço nos mercado nacional de vinhos: o baixo consumo per capita brasileiro da bebida .

Segundo Angelica Valenzuela, “encaramos o baixo percentual de consumo não como um problema, mas como um indicativo de potencial, há muitas oportunidades no Brasil.” E conclui o raciocínio com a sabedoria própria de quem tem plena consciência daquilo que está falando: “é possível aumentar o consumo per capita do vinho, bem como a sua frequência, deixando o vinho mais próximo do cotidiano do brasileiro”.

A seguir, a íntegra da entrevista:

Comexdobrasil.com: A Wines of Chile projeta dobrar as exportações de vinhos para o Brasil num prazo de seis anos. Quais medidas estão sendo adotadas com o objetivo de atingir uma meta tão ambiciosa?

Wines of Chile: O Chile tem uma posição privilegiada no Brasil. Os vinhos chilenos lideram o ranking de vinhos importados no Brasil há mais de 10 anos. O nosso objetivo é crescer 10% ao ano no mercado brasileiro por meio de investimentos continuados no segmento do trade, capacitação de profissionais e comunicação com o consumidor. Para isso aumentamos em 100% os investimentos para 2019. O Brasil é o maior mercado de consumo em toda a América do Sul e queremos sempre estar ao lado deste gigante.

Comexdobrasil.com: O Brasil é um país com um consumo per capita de vinho relativamente baixo. Você acredita que é possível dobrar as vendas para o país independentemente de se elevar o consumo de vinho pelos brasileiros?

Wines of Chile:Nos últimos 10 anos entraram oito milhões de novos consumidores no mercado de vinhos totalizando hoje 32 milhões de consumidores regulares de vinho no Brasil, ou seja, pessoas que bebem vinho pelo menos uma vez por mês, de acordo com o estudo da Wine Intelligence. O mercado total de vinhos finos, somando nacional e importados, foi de 211 milhões de litros em 2018 (um aumento de 3,3% em relação a 2017 em plena crise econômica e política), sendo 34,6% deste volume de vinhos importados, segundo dados da Ideal Consulting.

Encaramos o baixo percentual de consumo não como um problema, mas como um indicativo de potencial, há muitas oportunidades no Brasil. É possível aumentar o consumo per capita de vinho, bem como a sua frequência, deixando o vinho mais próximo do cotidiano do brasileiro.

 Comexdobrasil.com: Atualmente o Brasil ocupa a quinta posição no ranking dos principais importadores dos vinhos chilenos. Com o aumento das vendas, que posição o país poderá vir a ocupar dentro de cinco ou seis anos?

Wines of Chile: Sem dúvida, o Brasil pode chegar a ser o terceiro mercado mais importante para os vinhos chilenos.

 Comexdobrasil.com: A Wines of Chile anunciou que pretende aumentar as exportações de vinhos finos para o Brasil e que vai implementar uma série de ações de Marketing principalmente em feiras nas cidades de Sao Paulo e Rio de Janeiro. Você poderia detalhar melhor essas ações? Já existe um calendário estabelecido?

Wines of Chile:Sim, vamos realizar uma série de eventos para o trade (compradores como operações de e-commerce, redes de supermercados e lojas especializadas), nos profissionais (sommeliers) e público final, incluindo ações digitais e com influenciadores. Acabamos de lançar o site da Wines of Chile no Brasil – www.winesofchilebrasil.com – onde estaremos divulgando todas as atividades e calendário.

Entre as principais iniciativas da Wines of Chile para o Brasil este ano, cito o Gran Tasting (em S. Paulo) com foco no trade, o “Encontro de Vinhos” (S. Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Belo Horizonte), como foco nos consumidores e WoC Academy, com foco nos sommeliers (S. Paulo, Rio de Janeiro, Florianópolis, Campinas, Bauru, São Carlos, Santos e Sorocaba).

Comentários

Comentários

Deixar uma resposta