Zero Grau: feira de calçados e acessórios terá edição presencial no mês de novembro, em Gramado

0
251

Última atualização:

Gramado (RS) A Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios está confirmada de forma presencial para os dias 16, 17 e 18 de novembro, no Centro de Eventos do Serra Park, em Gramado (RS). A confirmação foi dada pela Merkator Feiras e Eventos, empresa promotora da feira, que está amparada no decreto de número 55.240, do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, de 29 de setembro de 2020.

Esta é uma das notícias mais esperadas pelo setor coureiro calçadista nas últimas décadas em função das perdas acumuladas pelas indústrias devido ao desaquecimento do mercado em função da pandemia do Coronavírus, desde o mês de março deste ano.

A feira vai acontecer obedecendo rígidos protocolos, como diz o texto do decreto estadual “os organizadores deverão seguir, integralmente todos os protocolos e regras já estabelecidos na Portaria 617/2020, da Secretaria da Saúde”.

Segundo Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos, empresa promotora da feira, “nós estamos empenhados em fazer um evento dentro de todas as regras para marcar a retomada deste setor que está necessitando muito de um ânimo para começar 2021 de uma maneira bem promissora”, salienta Pletsch.

Já estão confirmados para a feira, que lança as coleções outono/inverno, 220 expositores dos polos brasileiros de calçados, somando cerca de 1000 marcas dos segmentos femininos, masculinos, infantis e esportivos, além de bolsas, cintos e demais acessórios. “Estávamos ansiosos pela definição do governo e agora já estamos comunicando os expositores e os lojistas para que possam dar inícios aos últimos preparativos para a feira”, acentua Pletsch.

O setor calçadista brasileiro foi um dos mais atingidos pela desaceleração do mercado, chegando a registrar índices alarmantes em termos de fechamento de postos de trabalho. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados – Abicalçados – os números do setor foram os seguintes: 43 mil postos de trabalho fechados entre janeiro e julho, perdas de vendas no mercado domésticos 37% menos que o mesmo período do ano passado, e as exportação caíram de 25% já de janeiro a agosto deste ano em comparação ao ano passado.

“Agora nos resta organizar uma feira completamente diferente de tudo que já realizamos até agora com a finalidade de auxiliar o mercado ingressar na normalidade possível. Faremos um palco ideal para negócios nos dias de hoje. Não vamos esquecer, por nenhum instante, que ainda estamos numa pandemia e que são necessárias medidas sanitárias preventivas e rigorosas para cuidar da saúde de todas pessoas que vão estar conosco nos pavilhões”, finaliza Frederico Pletsch.

(*) Com informações da Zero Grau

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta